Mick Fleetwood adoraria ver Stevie Nicks e Lindsey Buckingham em paz novamente

Baterista do Fleetwood Mac disse existir barreira emocional entre os dois músicos, que tiveram convivência difícil nos últimos anos

Em 2018, Lindsey Buckingham acabou demitido do Fleetwood Mac. De acordo com o guitarrista, a saída teve influência direta da integrante e ex-namorada Stevie Nicks.

Por outro lado, a vocalista negou ter sido a culpada pela dispensa. Fato é que antes mesmo ambos os artistas já enfrentavam uma convivência complicada.

- Advertisement -

Mick Fleetwood, que acompanhou toda a saga de perto, revelou que adoraria ver os dois membros em paz mais uma vez. Para ele, trata-se de uma questão pessoal, que independe do efeito que a reconciliação poderia causar na parte profissional.

À revista Mojo (via Classic Rock), o baterista disse:

“Não é segredo, não é fazendo uma fofoca, mas existe uma barreira emocional ali. Stevie normalmente é capaz de falar de maneira aberta sobre como ela se sente e não se sente, assim como Lindsey. Mas, pessoalmente, eu adoraria ver os dois se entendendo de novo– e isso não precisa necessariamente virar uma turnê [do Fleetwood Mac].”

Aliás, em 1977, Mick também relacionou-se brevemente com Stevie. O caso deu origem à faixa “Beauty and the Beast”, lançada pela cantora no álbum “The Wild Heart” (1993). 

De qualquer maneira, uma reunião do Fleetwood Mac não parece estar nos planos dos músicos. Também para a Mojo, a própria vocalista descartou qualquer tipo de reencontro devido ao falecimento da tecladista Christine McVie, ocorrido em novembro de 2022:

“Sem Christine, não tem como. Não há qualquer chance do Fleetwood Mac voltar. Sem ela, simplesmente não daria certo.”

Os problemas entre Lindsey Buckingham e Stevie Nicks

Como mencionado, Lindsey Buckingham culpou Stevie Nicks por sua saída do Fleetwood Mac. Conversando com a Rolling Stone em 2023, ele a comparou com Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos, além de fazer um paralelo entre os outros membros da banda e o Partido Republicano.

“Eu acho que os outros na banda apenas não se sentiram empoderados o suficiente, individualmente, por quaisquer que sejam suas próprias razões, para se posicionar pelo que era certo. E então, se tornou meio como Trump e os Republicanos.”

A vocalista, por sua vez, emitiu um comunicado em resposta ao guitarrista. No longo texto, negou ser a responsável pela dispensa:

“É uma pena que Lindsey tenha escolhido contar uma história revisionista do que aconteceu em 2018 com o Fleetwood Mac. Sua versão dos eventos é factualmente imprecisa e, embora eu nunca tenha falado publicamente sobre o assunto, preferindo não lavar a roupa suja, certamente parece que chegou a hora de lançar uma luz sobre a verdade.

Leia também:  Smashing Pumpkins anuncia dois shows no Brasil para novembro

Após um período extremamente difícil com Lindsey na MusiCares em Nova York, em 2018, decidi por mim mesma que não estava mais disposta a trabalhar com ele. Eu poderia refletir publicamente sobre as muitas razões, e talvez eu o faça algum dia em um livro biográfico, mas basta dizer que poderíamos começar em 1968 e trabalhar até 2018 com uma lista de razões muito precisas pelas quais não irei mais trabalhar com ele.

Para ser extremamente clara, eu não o demiti, não pedi que fosse demitido, não exigi que fosse despedido. Francamente, eu me demiti. Eu me retirei proativamente da banda e de uma situação que considerei tóxica para o meu bem-estar. Eu estava acabada. Se a banda continuasse sem mim, que seja.

Defendi a independência durante toda a minha vida e acredito que todo ser humano deve ter a liberdade absoluta de definir os limites do que pode ou não fazer. E depois de muitas discussões em grupo, o Fleetwood Mac, uma banda cujo legado está enraizado na evolução e na mudança, encontrou um novo caminho com dois novos membros extremamente talentosos.

Além disso, como um comentário sobre ‘família’ – fiquei empolgada por Lindsey quando ele teve filhos, mas não estava interessada em fazer as mesmas escolhas de vida. Essas são minhas decisões que posso tomar por mim mesma. Estou orgulhosa das escolhas de vida que fiz e soa vergonhoso que ele julgue qualquer pessoa que faz a escolha de viver sua vida em seus próprios termos, mesmo que pareça diferente de suas escolhas de vida.”

Vale lembrar que os dois tiveram um relacionamento ainda nos anos 70, quando também romperam. Desde então, apesar dos problemas, continuaram sendo colegas de banda.

Christine McVie e Fleetwood Mac

Christine McVie morreu no dia 30 de novembro de 2022, aos 79 anos. Ela enfrentava um câncer e sofreu um AVC, que agravou sua condição física. A artista começou a carreira ainda na década de 60, com a banda Chicken Shack, com quem gravou dois álbuns antes de entrar para o Fleetwood Mac – fundada por seu marido, o baixista John McVie – em 1970.

O período de maior sucesso foi marcado pelas dinâmicas entre o casal McVie e o formado por Lindsey Buckingham e Stevie Nicks. O álbum “Rumours” detalha a dissolução de ambas as relações.

As últimas apresentações do grupo aconteceram em 2019, com Mike Campbell (ex-Tom Petty & The Heartbreakers) e Neil Finn (Crowded House) substituindo Lindsey. Atualmente, apenas Stevie Nicks segue uma carreira de forma constante. Os outros integrantes da formação clássica estão afastados dos holofotes.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasMick Fleetwood adoraria ver Stevie Nicks e Lindsey Buckingham em paz novamente
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades