“Tokyo Tapes”, do Scorpions, é 100% ao vivo? Uli Jon Roth responde

Álbum foi o último registro da banda com o guitarrista, que apontou o único elemento que acredita ter sido alterado em estúdio

Em 1978, o Scorpions lançou um álbum ao vivo que resume bem a fase inicial da banda. Gravado em duas noites no Japão, “Tokyo Tapes” foi também o último trabalho com o guitarrista Uli Jon Roth, que deixou a formação logo após o segundo show registrado, em 27 de abril do ano mencionado.

Em entrevista ao Mike Nelson Show (via Ultimate Guitar), Roth foi perguntado se o disco é realmente 100% ao vivo ou se recebeu correções em estúdio — os chamados “overdubs”, tão comuns em registros daquela época.

- Advertisement -

Em sua resposta, declarou:

“Sim (é totalmente ao vivo). Quer dizer, até onde me lembro. Porque eu não fiz nenhum overdub de guitarra. Foi tudo 100% (ao vivo). Eu não estava lá na mixagem do álbum, então não tenho total certeza se algumas coisas foram consertadas.”

Na sequência, o músico se lembra de um detalhe que foi alterado em estúdio no álbum, mas que não compromete a experiência. A iniciativa “pega emprestado” um recurso usado em outro famoso trabalho ao vivo, lançado por Peter Frampton em 1976. O guitarrista contou:

“Eu sei que o aplauso do público foi aumentado, porque esqueceram de gravar a plateia. E o público japonês é sempre tão quieto e parado, então acho que pensaram que precisávamos de um pouco mais disso. Então, eles usaram (o som do público em) ‘Frampton Comes Alive’ como um looping. É disso que me lembro!

Mas acho que é a única coisa em ‘Tokyo Tapes’ que não é real. Nós tocamos para públicos realmente ótimos e eles aplaudiram, mas não foi gravado da forma correta. E então esse disco teria soado um pouco estranho.”

Leia também:  Guns N’ Roses trabalha em material novo, segundo Duff McKagan

Scorpions após “Tokyo Tapes”

“Tokyo Tapes” encerra a fase inicial do Scorpions, que passaria a mudar sua sonoridade para um hard rock mais convencional e agressivo a partir do disco de estúdio seguinte, “Lovedrive” (1979). Para a vaga de Roth, foi chamado o guitarrista Matthias Jabs, que permanece com o grupo até hoje.

Sobre Uli Jon Roth

Nascido em Düsseldorf, Alemanha Ocidental, Ulrich Roth é um dos criadores do que viria a ser conhecido como metal neoclássico, estilo que juntava o lado mais pesado do rock com a teoria da música clássica.

Após sair do Scorpions, formou o Electric Sun. Os três discos de estúdio do grupo foram dedicados a Jimi Hendrix, Anwar Sadat (presidente egípcio que tentou estabelecer a paz no Oriente Médio e acabou assassinado) e Martin Luther King Jr, em sequência.

É o desenvolvedor da Sky Guitar, instrumento personalizado, além de dar palestras musicais e filosóficas com a Sky Academy. Além de breves reuniões com a banda que o consagrou, realiza shows solo e tocou com nomes como Smashing Pumpkins e G3, excursionando com Joe Satriani e Michael Schenker.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidades“Tokyo Tapes”, do Scorpions, é 100% ao vivo? Uli Jon Roth responde
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Interessado em música desde a infância, teve um blog sobre discos de hard rock/metal antes da graduação e é considerado o melhor baixista do prédio onde mora. Tem passagens por Ei Nerd e Estadão.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades