“Descobridor” do Guns N’ Roses revela sua curiosa 1ª reação a Axl Rose

Tom Zutaut lembrou de certas características de Jim Morrison (The Doors) ao acompanhar performance de vocalista no palco

Tom Zutaut, executivo da área de A&R (que pesquisa talentos e desenvolve repertórios em gravadoras), descobriu grandes bandas na década de 1980. Logo de cara, reconheceu, por exemplo, não só o potencial do Mötley Crue, como também do Guns N’ Roses, conseguindo contratos em grandes selos para ambos os grupos. 

Durante recente participação no X5 Podcast, transcrita pela Ultimate Guitar, o profissional relembrou sua trajetória na indústria musical e, em determinado momento, descreveu sua reação ao ver Axl Rose cantando pela primeira vez. Antes mesmo de ter tido qualquer contato com o vocalista, já nutriu curiosidade a respeito de suas habilidades. 

- Advertisement -

Isso porque, enquanto dirigia pela avenida Sunset Boulevard, na cidade americana de Los Angeles, deparou-se com um curioso pôster colado em um dos postes. O cartaz divulgava um desconhecido Guns N’ Roses. Intrigado com o anúncio, resolveu que daria um jeito de assistir aos músicos, como explicou.

“Estava dirigindo pela Sunset Strip e vi um pôster com um desenho de duas pistolas com rosas. Slash que o desenhou, ele é um artista e cartunista incrível. Parei o Jeep, arranquei aquele papel do poste e, quando cheguei ao meu escritório na Geffen, entreguei para minha assistente. Eu disse: ‘descubra onde e quando essa banda vai tocar, tenho que ver’. Tive um pressentimento. Naquele momento, eu já tinha assinado Mötley Crue e Dokken e tinha levado o Metallica para Elektra.”

No entanto, por causa de uma confusão com a programação da noite, Tom chegou ao The Roxy Theatre, local onde tinham um show marcado, apenas quando o Guns havia encerrado sua performance. De qualquer forma, permaneceu na casa para prestigiar a apresentação do Shark Island, que contou com uma participação de Axl.

Naquele momento, percebeu que estava diante de uma “estrela do rock”. Em comparação com Jim Morrison, saudoso vocalista do The Doors, declarou: 

“Então, o Axl entrou para cantar uma música e ele deslizou pelo palco como uma cobra, Fiquei observando achando que era um cover de alguém, mesmo que não fosse parecido com nada que eu conhecesse. Danny Sugerman, ex-empresário do The Doors, descreveu uma vez Jim Morrison para mim. Ele disse: ‘alguém que tem esse magnetismo animal, uma coisa poderosa quando está no palco, que desliza como uma cobra…’. Bem, só naquele cover que Axl fez com Shark Island, percebi todas as características que Danny Sugarman me disse, e pensei, ‘ah, meu Deus, isso é sério, ele vai ser o maior cantor de rock do mundo.”

Assim, decidiu que tentaria novamente ver o Guns N’ Roses em ação. Caso não gostasse do desempenho mostrado pela banda, a ideia era idealizar um outro plano de carreira para o vocalista. Contudo, não foi preciso, pois sentiu-se igualmente impressionado com o resto dos músicos.  

“Eu disse para o Axl ‘vou ao show e vou ficar só por algumas músicas’, porque eu já sabia o que queria. Se a banda fosse uma porcaria, eu montaria uma outra banda em torno dele. Então, fui para o The Troubadour e eles tocaram ‘Welcome to the Jungle’, ‘Nightrain’, e talvez metade de ‘Paradise City’. Foi a coisa mais barulhenta que eu já tinha visto na minha vida, doía os ouvidos de tão alto. Fui descobrindo que o Slash tinha composto certa música, Axl criou outra, Duff [McKagan] compôs aquela, Izzy [Stradlin] também. Pensei: ‘Caramba, é como Crosby, Stills, Nash e Young. Sei tudo o que preciso saber. Vou assinar essa banda’.”

Leia também:  Deep Purple tem ciúmes do sucesso do Led Zeppelin e do Black Sabbath? Ian Gillan responde

Guns N’ Roses e “Appetite for Destruction”

“Appetite for Destruction” (1987), álbum de estreia do Guns N’ Roses, demorou um pouco a cair no gosto do público. Só começou a ser bastante comercializado praticamente um ano após seu lançamento.

Um fato pouco conhecido do público é que se não fosse essa virada de chave, Axl Rose e companhia teriam ficado sem uma gravadora. Antes mesmo de ela ocorrer, a demissão era cogitada.

A revelação foi feita pelo próprio Tom Zutaut. Também em entrevista ao podcast X5, o profissional afirmou que em decorrência das baixas vendas iniciais do disco, a Geffen quis desistir de continuar a promover “Appetite for Destruction”.

Ele disse:

“Houve uma época e um ponto no qual o presidente da companhia me ligou e disse: ‘Esse álbum já era, estamos abrindo mão dele. Já era. Você tem de parar de perturbar o pessoal do marketing, o pessoal da promoção. Eles estão sem paciência, com você enchendo eles sobre o Guns N’ Roses’.”

Na sequência, Zutaut destacou que não se daria por vencido e conseguiu convencer a Geffen a continuar bancando o disco. Um dos motivos foi sua certeza de que o Guns N’ Roses teria futuro – afinal, deixou de fora músicas com potencial, como “November Rain” e “Don’t Cry”, por ter essa visão.

“Eu disse: ‘200 mil (o número de discos vendidos nos primeiros meses de lançamento) é uma m#rda, cara. Esse disco vai vender milhões’. E, claro, mais tarde, se tornou o álbum de estreia de uma banda mais vendido da história. Ninguém ainda o superou, nem mesmo na terra do streaming. Mas, sabe, eu tinha a visão. Eu pensei que seria o maior álbum do mundo, a maior banda da história e não deixaria que algumas pessoas sem essa visão acabassem com a carreira do grupo. Quero dizer, deixei ‘November Rain’, ‘Don’t Cry’, deixei tantas canções fora de ‘Appetite’ por saber que teríamos uma ótima sequência.”

De fato, Zutaut estava certo: após mantida a insistência, “Appetite for Destruction” engrenou nas vendas e atualmente, figura nas listas de mais vendidos da história. Além disso, já recebeu 18 vezes a certificação de platina da Recording Industry Association of America (RIAA), por ter ultrapassado 18 milhões de cópias nos Estados Unidos.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidades“Descobridor” do Guns N’ Roses revela sua curiosa 1ª reação a Axl...
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

1 COMENTÁRIO

  1. O grande lance desse executivo foi perceber o óbvio, e grande talento do Guns n Roses. O debut ‘Appetite for Destruction’ é simplesmente, o melhor disco do Guns. A prova disso é que nem o próprio grupo conseguiu superá-lo.

    Olhando para trás, é compreensível que em meio ao concorrido mercado americano, e depois mundial, esse disco tenha demorado a emplacar, pois estava no meio da época mais ‘glam’ do hair metal, com Bon jovi, e os Poison da vida cheios de cores, baladas, videos, festas, cabelos e poses … até que, finalmente o público se deu conta de que havia um fenômeno do rock chamado Guns n Roses, fazendo um som contra a maré, com muita energia, riffs e solos incriveis de Slash, e o vocal do Axl no auge.
    Afinal de contas, após o surgimento arrebatador do Eddie Van Halen com o 1º disco em 1979, trazendo uma nova Era pra guitarra, os caras de outras bandas tinham de ser guitarristas muito ousados nas cordas para serem notados.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades