O grande erro do Pink Floyd em “A Momentary Lapse of Reason”, segundo Nick Mason

Para baterista, envolvimento de vários músicos fora da banda comprometeu resultado alcançado

Parte do material que entrou no álbum A Momentary Lapse of Reason (1987), do Pink Floyd, estava sendo preparado para um terceiro trabalho solo de David Gilmour. Sendo assim, o vocalista e guitarrista contou com uma série de colaborações externas nas composições e registros.

Apesar da mudança de planos em relação ao nome que seria usado para ilustrar o disco, visando honrar compromissos, músicos como o baterista Carmine Appice (Vanilla Fudge, Cactus, King Kobra), o baixista Tony Levin (King Crimson, Peter Gabriel), o saxofonista John Helliwell (Supertramp) e o produtor Bob Ezrin participaram das gravações.

- Advertisement -

Mesmo contando com alguns admiradores, o disco é um dos mais criticados por fãs e mídia. E um dos motivos, na visão do baterista Nick Mason, reside justamente no excesso de participações, o que acabou comprometendo o resultado obtido.

Disse o músico à revista alemã Galore em 2005, conforme resgate do Far Out Magazine:

“Em retrospecto, lamento bastante que tenha sido assim. Acontece que, em ‘A Momentary Lapse of Reason’, muitas coisas foram tocadas por outras pessoas. Isso foi um erro, mas na época, David Gilmour tinha muita coisa para fazer.”

Uma das consequências diretas foi o fato de Mason ter tocado sintetizadores em parte do tracklist – além de outros elementos percussivos fora de seu kit habitual.

Leia também:  Novo álbum “surpresa” de Elton John deve ser lançado em breve

A visão de Carmine Appice

Outro baterista envolvido no processo, Carmine Appice deu sua versão dos fatos em 2021, durante conversa com o My Drum Lessons.

“Cheguei em casa um dia e tinha uma mensagem de Bob Ezrin na secretária eletrônica. Ele disse: ‘Carmine, estou produzindo um grupo que está precisando de suas levadas de bateria’. Pensei que seria um grupo novo ou algo assim. Liguei de volta e ele disse que era o Pink Floyd.”

A princípio, o irmão mais velho de Vinny Appice (ex-Black Sabbath e Dio) estranhou. E a explicação que recebeu foi um tanto quanto incomum.

“Eu disse: ‘uau, Pink Floyd… o que aconteceu com Nick (Mason)?’. Ele disse que Nick estaria lá. Eu disse: ‘por que ele não vai tocar?’. Ele disse que Nick esteve correndo com suas Ferraris e os outros músicos queriam sangue novo, alguma energia nova. Então eu fui e passei o dia lá.”

Pink Floyd e “A Momentary Lapse of Reason”

Lançado em 7 de setembro de 1987, “A Momentary Lapse of Reason” foi o primeiro disco do Pink Floyd sem o baixista e vocalista Roger Waters no comando. David Gilmour assumiu o controle e manteve a parceria com Nick Mason. Demitido no período de “The Wall” (1979), o tecladista Richard Wright não pôde aparecer devido a questões legais.

Leia também:  Dave Mustaine pede ideias de colegas para novo álbum do Megadeth

Apesar das reações negativas, vendeu mais de 10 milhões de cópias em todo o mundo. Chegou ao 3º lugar nas paradas britânica e estadunidense.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO grande erro do Pink Floyd em “A Momentary Lapse of Reason”,...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades