A opinião de Liam Gallagher sobre irritação de Damon Albarn com público do Coachella

Rival histórico do cantor do Blur enfatizou que “não dá para forçar o público a cantar junto”

A reação de Damon Albarn à apatia do público no Coachella Festival ganhou as manchetes nos últimos dias. Após tentar inúmeras vezes fazer o público interagir, o vocalista do Blur esbravejou e chegou a dizer que sua banda não voltaria mais aos Estados Unidos – onde não possuem a mesma fama em comparação ao Reino Unido, sua terra natal.

O Oasis também nunca obteve a mesma repercussão no maior mercado da indústria. Ainda assim, o vocalista Liam Gallagher não faria a mesma coisa caso se deparasse com a situação. Para o irmão de Noel, não adianta tentar enfrentar a plateia.

- Advertisement -

Disse o cantor no X/Twitter, respondendo a um fã que pediu sua opinião sobre o assunto:

“Você não pode forçar as pessoas a cantar junto. Faça o seu show e pronto. É isso que eu faço, você nunca me ouvirá reclamar.”

Vale citar que o Oasis passou por uma situação semelhante em 2001, durante o Rock in Rio. Com a maior parte da plateia interessada no show de retorno do Guns N’ Roses, o grupo foi ignorado na maior porção de seu setlist, despertando algum tipo de reação apenas em momentos de hits de maior abrangência. Ainda assim, há de se ressaltar que Liam se comportou exatamente como disse acima.

Leia também:  Slash diverte, mas não ousa em “Orgy of the Damned”

Entenda o caso

O auge da revolta de Damon aconteceu durante a execução da música “Girls & Boys”. Ao pedir a participação do público, o músico foi quase que totalmente ignorado.

Foi o suficiente para ele declarar, conforme repercussão do NME:

“Vocês podem fazer melhor que isso!”

A bronca não surtiu efeito, o que fez com que o cantor arrematasse:

“Vocês nunca mais nos verão, então é melhor cantar essa p*rra! Entendem o que estou dizendo?”

Fim do Blur?

A ideia de que o Blur pode não mais voltar aos Estados Unidos pode ter sido fruto de uma indignação momentânea. Porém, também encontra eco em recentes falas públicas de seu líder. Em novembro do ano passado, durante passagem pela América do Sul, Damon já havia deixado indícios de que um desfecho da banda pode ser iminente.

Tudo começou em 24 de novembro. Conforme registro do TMDQA, o frontman disse à plateia de Santiago, Chile, que aquele seria o penúltimo show do grupo. A fala foi ampliada em terras argentinas dois dias mais tarde, embora alguns tenham entendido como uma brincadeira, já que o cantor teria olhado para o baixista Alex James e dado risada logo a seguir.

Leia também:  As melhores novas bandas de metal, segundo Ronnie Radke

Ainda assim, ao se atrapalhar com a letra de “Parklife”, o artista não perdeu a chance de dizer:

“E aí eu cantei as palavras erradas, mas eu na verdade não me importo. Talvez eu não as cante nunca mais! Quem liga?”

“É hora de encerrar esta campanha”

Porém, outro pronunciamento colocou mais lenha na fogueira. Em entrevista à revista francesa Les Inrockuptibles (repercutida pelo NME), o frontman deu a entender que o retorno recente foi uma mera experiência temporária.

“É hora de encerrar esta campanha. É muito para mim. Foi a coisa certa a fazer e uma imensa honra tocar essas músicas novamente, passar um tempo com esses caras, fazer um álbum, blá-blá-blá. Não estou dizendo que não farei isso de novo, foi um belo sucesso, mas não estou vivendo no passado.”

Em hiato desde 2016, o Blur retomou atividades e lançou o álbum “The Ballad of Darren” em julho de 2023. O nono trabalho de estúdio foi bastante elogiado por público e crítica, se tornando o sétimo da carreira a alcançar o topo na parada do Reino Unido. Também foi o primeiro a figurar no Top 10 dos Estados Unidos, chegando à 8ª posição.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasA opinião de Liam Gallagher sobre irritação de Damon Albarn com público...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades