O ousado disco do Melvins que mudou a vida de Dave Grohl

Grohl teve seu primeiro contato com a banda de Buzz Osborne ainda na época em que tocava com o Scream, antes do Nirvana

A relação do Nirvana com o Melvins não é segredo para os admiradores de ambas as bandas. Kurt Cobain chegou a ser convidado a produzir “Houdini”, primeiro álbum de Buzz Osborne e seus comandados para uma grande gravadora, em 1993. A experiência, infelizmente, foi a pior possível, mas não deixa de registrar a conexão entre os artistas. Porém, quando se trata de Dave Grohl, a história vai ainda mais longe.

Ainda à época do Scream, banda em que tocou antes do sucesso, o hoje líder do Foo Fighters teve o primeiro contato com o grupo de Washington. Curiosamente, aconteceu bem longe dos Estados Unidos, durante uma excursão à Holanda. Dave estava hospedado na casa de um amigo, quando começou a dar uma conferida nos discos da coleção. Até que se deparou com “Gluey Porch Treatments”, primeiro álbum completo do conjunto, lançado em 1987.

- Advertisement -

À revista Mojo, Grohl contou:

Leia também:  Como a estreia dos Rolling Stones ajudou a moldar o rock inglês

“Achava se tratar de mais um disco de hardcore. Mas quando coloquei para rodar, explodiu minha cabeça. As músicas eram tão lentas que não dava para imaginar como conseguiam manter o tempo. Foi o momento em que me apaixonei por aquela estética, era mais pesado que qualquer coisa do Black Sabbath ou de outras bandas de metal que tivesse ouvido até então.”

Kurt Cobain e “Houdini”

Apesar da amizade, o Melvins não hesitou em deixar Kurt Cobain de lado na produção do mencionado “Houdini”. Buzz Osborne descreveu à Metal Hammer a situação do amigo durante as sessões.

“Ele estava uma bagunça, drogado o tempo todo, especialmente na parte final dos trabalhos. Fui até o escritório da Atlantic e disse que não dava para continuar. Não tinha interesse em expor seus problemas pessoais, só queria tirá-lo do projeto. Desfizemos a parceria e contratamos GGGarth Richardson, que havia produzido o Rage Against the Machine.”

Apesar do desgaste, o nome do líder do Nirvana apareceu nos créditos do álbum, assim como sua participação tocando guitarra em “Sky Pup” e percussão em “Spread Eagle Beagle”. A tracklist ainda contava com uma versão para “Goin’ Blind”, do Kiss.

Leia também:  O ingrediente que faz o AC/DC ser fenomenal, segundo Carlos Santana

Sobre o Melvins

Na ativa desde 1983, o Melvins é considerado um dos pilares para a consolidação das sonoridades do grunge e do sludge metal. Buzz Osborne é guitarrista e vocalista desde o começo. O baterista Dale Crover entrou em 1984 e segue até hoje, tendo mudado para o baixo entre 2008 e 2015.

O álbum mais recente do grupo é “Bad Moon Rising”, disponibilizado em agosto de 2022. O trabalho foi um lançamento independente, através do selo Amphetamine Reptile Records.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO ousado disco do Melvins que mudou a vida de Dave Grohl
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades