AC/DC: o grande mérito da produção de “The Razors Edge”, segundo Malcolm Young

Bruce Fairbarn assumiu a função e soube modernizar a sonoridade sem tirar a essência da banda

Décimo primeiro trabalho de estúdio (na discografia internacional), “The Razors Edge” representou a retomada do sucesso do AC/DC após uma série de anos irregulares entre discos e turnês. Muitos fatores contribuíram, mas um acabou sendo essencial, conforme Malcolm Young destacou em 1992, durante entrevista à Classic Rock.

Irmão mais velho do músico, George Young não pôde produzir o disco devido a problemas pessoais. Por indicação do artista e empresário Derek Shulman, foi chamado o canadense Bruce Fairbairn.

- Advertisement -

“Bruce era um verdadeiro gentleman. Ele sabia o que queríamos fazer e ficou feliz em embarcar no objetivo conosco. Queríamos ouvir cada instrumento daquele disco e ter o som geral bem ‘na cara’. Nada daquelas mixagens americanas com oito overdubs de guitarra. Bruce conseguiu dar um som moderno à banda sem nos diluir.”

“The Razors Edge” também marcou a estreia do baterista Chris Slade (ex-The Firm, David Gilmour e Asia), além de ser seu único disco de inéditas com a banda. O sucesso de “Thunderstruck”, um dos maiores hits da carreira dos australianos, também contribuiu.

Leia também:  “Enfiaram algo na b*nda dele” — a reação de Yngwie Malmsteen ao Pantera em 1994

“Simon já havia saído e Chris nos deu um impulso adicional. Ele é um showman por direito próprio e às vezes até acho que o impedimos de ir além. ‘Thunderstruck’ foi o primeiro single e acabou sendo a abertura do set ao vivo. É uma daquelas músicas que soa bem no palco. ‘Fire Your Guns’ é a mesma coisa. Ambas foram muito bem.”

AC/DC, “The Razors Edge” e Bruce Fairbairn

O álbum vendeu cerca de 8 milhões de cópias em todo o mundo. Chegou ao segundo lugar nos Estados Unidos, terceiro na Austrália e quarto no Reino Unido. A turnê recolocou o grupo no patamar do início dos anos 1980, sendo atração principal do Monsters of Rock, em Donington, Inglaterra – show que acabou sendo gravado e lançado.

Leia também:  A opinião de Jeff Ament sobre ódio que o Pearl Jam recebe por opiniões políticas

Bruce Fairbarn faleceu em 1999, aos 49 anos. Além do AC/DC, ele trabalhou com o Bon Jovi na dobradinha “Slippery When Wet” (1986) e “New Jersey” (1988). Também conduziu o Aerosmith na retomada do sucesso com a trinca “Permanent Vacation” (1987), “Pump” (1989) e “Get a Grip” (1993). Ainda assinou trabalhos do Kiss, Van Halen, Poison, Chicago, Yes e INXS, entre vários outros.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesAC/DC: o grande mérito da produção de “The Razors Edge”, segundo Malcolm...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades