O álbum dos Rolling Stones que Gene Simmons considera subestimado

Kiss chegou a gravar versão para uma das músicas do disco, lançado originalmente no ano de 1967

“Their Satanic Majesties Request” é, sem dúvida, o álbum mais experimental de toda a carreira dos Rolling Stones. Lançado em 8 de dezembro de 1967, o sexto trabalho de estúdio trazia o grupo explorando sonoridades psicodélicas e experimentais. Instrumentos como mellotron e teremim foram usados, além de arranjos de cordas (feitos por John Paul Jones, futuro Led Zeppelin) e percussões com influência de música africana.

Quem aprova o resultado é Gene Simmons. Ao citar seus 13 discos preferidos ao The Quietus, em 2015, o baixista e vocalista do Kiss não deixou de mencionar o play em questão. Ele declarou:

- Advertisement -

“Um disco subestimado dos Stones. Você sabe, eles tinham um som. Originalmente começaram fazendo covers de músicas dos Beatles e outros porque não sabiam compor. Todo mundo frequentava os mesmos clubes naquela época e eles se viam socialmente. Então, no início, os Beatles deram a eles ‘I Wanna Be Your Man’, que depois também gravaram, mas os Stones lançaram como single. O empresário Andrew Loog Oldham disse a eles que teriam que escrever suas próprias canções, então desenvolveram esse som.”

Tanto a sonoridade quanto a capa fizeram com que a banda sofresse acusações de estar tentando seguir o caminho do Fab Four, que havia lançado “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” seis meses antes. Eles também são homenageados na capa.

Leia também:  A história do álbum de estreia dos Smiths e a criação do indie rock

“Eventualmente eles viram os Beatles fazendo ‘Sgt. Pepper’s’ e todo esse material experimental, então decidiram sair de sua zona de conforto. Isso é o que acho interessante. ‘Their Satanic Majesties Request’ são os Stones tentando fazer o ‘Sgt. Pepper’s’. Roubando os Beatles ou não, tem valor de produção e composição que não é encontrado em nenhum outro disco deles.”

As melhores músicas segundo Gene Simmons

Na hora de citar as canções preferidas, Gene lembra de uma música regravada pelo próprio Kiss no álbum “Dynasty” (1979): “2,000 Man”, cantada pelo guitarrista Ace Frehley.

“‘2,000 Lightyears From Home’, ‘2,000 Man’, a qual fizemos um cover… Ela fala de computadores e do ano 2000, é muito interessante. Lembro-me de estar na escola nos anos 60 e de ler 1984, de George Orwell, que trata de como no futuro o governo nos espionaria. É claro que isso foi escrito bem antes de 1984, o que agora parece que já passou muito tempo. Então é tudo relativo. Com a música dos Stones, as cordas e o verso, há um material muito bom nesse disco.”

E mesmo que os fãs e até a própria banda não o aprecie tanto, o Demon mantém sua convicção.

Leia também:  O cover de Queen que deixou Brian May triste e horrorizado

“Acho que é um trabalho único que os mostra tendo alguma profundidade. Há alguns cantos de fundo ruins e desafinados porque eles nunca foram os melhores cantores, não tinham harmonias como os Beatles. O problema é que eram baseados no blues e se afastaram dele naquele disco, entrando em áreas quase celtas e clássicas. Era um pastiche, uma colcha multicolorida! Você pode olhar para uma banda como uma moeda e dizer: ‘Eu vejo tudo, não preciso ver mais nada’, mas existe esse outro lado que acho mais interessante. A profundeza.”

Rolling Stones e “Their Satanic Majesties Request”

A própria banda se encarregou da produção, após o rompimento com o citado manager e produtor Andrew Loog Oldham. As sessões se arrastaram devido ao fato de os músicos estarem encrencados com a justiça, tendo que aparecer em tribunais e cumprir penas na prisão.

“Their Satanic Majesties Request” chegou ao segundo lugar na Grã-Bretanha e terceiro nos Estados Unidos, onde renderia disco de ouro.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO álbum dos Rolling Stones que Gene Simmons considera subestimado
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades