O melhor rompimento de banda da história, segundo Dave Grohl

Grupo citado pelo líder do Foo Fighters acabou no auge e gerou frenesi quando voltou para uma turnê

O The Police encerrou atividades no auge. Não, não é modo de dizer.

“Synchronicity” (1983), último álbum da banda, desbancou nada menos que “Thriller”, de Michael Jackson, do topo da parada americana. O single “Every Breath You Take” se tornou uma daquelas canções maiores que seus próprios criadores, sendo reconhecida até mesmo por quem não sabe de quem se trata.

- Advertisement -

Ainda assim, Sting, Andy Summers e Stewart Copeland não se aguentavam mais. O desfecho foi inevitável. Mas uma pessoa acredita ter sido o melhor. Em corte do canal Musoai, transcrito pelo Far Out Magazine, Dave Grohl explicou seu ponto de vista.

“O The Police fez o certo ao se separar. Foi o melhor, porque eles nem disseram tipo, ‘F*da-se, desistimos’. Nunca disseram uma palavra, simplesmente desapareceram por 20 malditos anos. Por isso, quando anunciaram a volta, todos ficamos muito entusiasmados.”

A turnê de reunião do trio aconteceu entre 2007 e 2008, se tornando uma das mais bem-sucedidas da história. Só em vendas de ingressos, o grupo faturou cerca de US$ 360 milhões.

Porém, Dave não pensa em adotar a mesma estratégia com o Foo Fighters. Mesmo em momentos dramáticos, como a perda de Taylor Hawkins, a ideia é seguir em frente.

Leia também:  Kerry King e Tom Araya se manifestam sobre volta do Slayer

“Eu sempre digo ‘não podemos terminar agora’. É como se seus avós se divorciassem. Que p*rra eles vão fazer? Temos que apenas aguentar.”

Foo Fighters e The Police

Recentemente, o Foo Fighters retornou ao Brasil pela primeira vez com Josh Freese substituindo o saudoso baterista. A banda se apresentou em Curitiba, no estádio Couto Pereira, além de São Paulo, na edição inaugural do festival The Town.

Quanto ao The Police, o reencontro parece ter sido a despedida definitiva. Considerando que eles viviam em clima de tensão, às vezes até partindo para o confronto físico, talvez seja melhor assim.

Sobre Dave Grohl

Nascido em Warren, Ohio, nos Estados Unidos, no dia 14 de janeiro de 1969, David Eric Grohl aprendeu a tocar ainda cedo, de forma autodidata. Na bateria, menciona influências iniciais como Neil Peart (Rush) e John Bonham (Led Zeppelin), mas seu gosto versátil por música – indo do rock alternativo ao thrash metal – marcou também seu trabalho profissional.

Iniciou carreira como baterista do Scream, banda de punk rock, ainda na década de 80. Em 1990, após a saída de Chad Channing, foi apresentado ao Nirvana por Buzz Osborne (Melvins) e acabou entrando para a banda. Com eles, se tornou mundialmente conhecido.

Leia também:  Foo Fighters fará show beneficente pedindo transparência em serviços de saúde nos EUA

Tragicamente, o Nirvana chegou ao fim em 1994, após a morte de Kurt Cobain. Dave considerou abandonar a música, mas a usou de forma quase terapêutica para superar o luto ao gravar um disco inteiro sozinho. Tornou-se o primeiro álbum do Foo Fighters, banda que ganhou outros integrantes e também se tornou um fenômeno de popularidade.

Além dos grupos dos quais fez parte oficialmente, Dave Grohl também se envolveu em diversos projetos paralelos. Ele tocou bateria com o Queens of the Stone Age e Tenacious D, além de ter montado o Probot, com ídolos do heavy metal, e o Them Crooked Vultures, unindo Josh Homme (QOTSA) e John Paul Jones (Led Zeppelin). Dividindo palco com nomes que vão de Tom Petty a Paul McCartney, Grohl se notabilizou como o “gente boa do rock”.

Fora seu trabalho como músico, Grohl explorou sua paixão pelo assunto por trás das câmeras. Ele dirigiu documentários musicais, incluindo “Sound City” (2013), “What Drives Us” (2021) e “Sonic Highways” (2014), este último lançado juntamente de um álbum.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO melhor rompimento de banda da história, segundo Dave Grohl
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades