Por que o heavy metal está “bem e saudável” hoje, segundo K.K. Downing

Guitarrista destaca os “zilhões de festivais” e vê com bons olhos bandas hoje caírem na estrada com mais frequência

A primeira metade dos anos 1970 é amplamente reconhecida como o período em que o heavy metal começou a se estabelecer como um gênero musical distinto. Mas embora bandas pioneiras como Black Sabbath, Led Zeppelin e Deep Purple, frequentemente fizessem shows lotados nas maiores casas do planeta, não se pode dizer que havia uma cena metal em si.

Isso mudou, segundo K.K. Downing, ex-guitarrista do Judas Priest e atual líder do KK’s Priest, em recente entrevista ao Consequence. Para ele, o heavy metal hoje está muito melhor e mais saudável do que costumava ser nos primórdios.

“São tantos shows agora. Lembro-me de festivais na Europa, provavelmente poderíamos contá-los nos dedos. Hoje, há zilhões de festivais por aí – o que é bom. E há tantas casas de shows e eventos acontecendo, o que é muito, muito saudável.”

- Advertisement -

Downing relaciona haver mais bandas na estrada ao fato de estas dependerem mais da receita dos shows do que da venda de discos — o que vê com bons olhos por obrigá-las a trabalhar com mais agilidade em estúdio.

“O Judas Priest lançou dois álbuns em um ano no final dos anos 1970. E eu estava meio inclinado a fazer isso [com o K.K’s Priest]. Mas estou muito feliz tendo lançado dois álbuns em dois anos. Gosto de trabalhar rápido. Em vez de trancar uma banda por vários anos em estúdio, é melhor estar na estrada fazendo shows.”

Os principais festivais de heavy metal do mundo

Num âmbito global, festivais desempenham um papel vital na preservação e na promoção do heavy metal. Em tempos de streaming, contribuem para economia da indústria da música mais do que a venda de discos. Também proporcionam aos fãs apreciarem performances ao vivo de muitas de suas bandas favoritas num lugar só.

Leia também:  Angra confirma show acústico em São Paulo após gravar DVD no formato

Entre os principais festivais de heavy metal do mundo estão:

  • Wacken Open Air: Considerado o maior festival de heavy metal do mundo, o Wacken começou na Alemanha em 1990 com uma tenda improvisada e hoje é um megaevento anual internacional que atrai fãs e apresenta bandas de todo o mundo.
  • Download Festival: O substituto do Monsters of Rock — realizado todos os anos de 1980 a 1996 — teve a primeira edição em 2003, na Inglaterra.
  • Graspop Metal Meeting: Todos os anos desde 1996 — excluindo 2020 e 2021 devido a restrições da Covid-19 —, a cidade belga de Dessel recebe este que é um dos festivais mais premiados de todos os tempos.
  • Hellfest: Criado em 2000 na França, o festival realizado anualmente além do metal foca em grupos punk e hardcore.
  • Loud Park: Festival de referência do Japão, o Loud Park teve doze edições entre 2006 e 2017, voltando a ser realizado em março deste ano, trazendo Pantera, Kreator, Nightwish e Stratovarius como headliners.
Leia também:  Lollapalooza Brasil anuncia mudanças no lineup e inclui Greta Van Fleet

O KK’s Priest de K.K. Downing

Formado em 2020 pelo ex-guitarrista do Judas Priest, K.K. Downing, o KK’s Priest reedita a parceria com o vocalista Tim “Ripper” Owens, que integrou o Judas entre 1996 e 2003.

A formação atual conta ainda com o segundo guitarrista A.J. Mills (Hostile), o baixista Tony Newton (Voodoo Six) e o baterista Sean Elg (Deathriders, Cage).

Ao álbum de estreia, “Sermons of the Sinner” (2021), seguiu-se “The Sinner Rides Again”, lançado em setembro.

Veja também:

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasPor que o heavy metal está “bem e saudável” hoje, segundo K.K....
Marcelo Vieira
Marcelo Vieirahttp://www.marcelovieiramusic.com.br
Marcelo Vieira é jornalista graduado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (FACHA), com especialização em Produção Editorial pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Há mais de dez anos atua no mercado editorial como editor de livros e tradutor freelancer. Escreve sobre música desde 2006, com passagens por veículos como Collector's Room, Metal Na Lata e Rock Brigade Magazine, para os quais realizou entrevistas com artistas nacionais e internacionais, cobriu shows e festivais, e resenhou centenas de álbuns, tanto clássicos como lançamentos, do rock e do metal.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades