Twisted Sister mudou a regra do jogo dos videoclipes, diz Dee Snider

Vocalista assume o crédito pelo sucesso de “We’re Not Gonna Take It” e “I Wanna Rock”, as duas grandes produções em vídeo da banda

Para muitas pessoas, o Twisted Sister sempre será mais lembrado por seus videoclipes do que propriamente pelas músicas. O visual espalhafatoso e a dramatização estilo pastelão em “We’re Not Gonna Take It” e “I Wanna Rock” ajudaram a popularizar a banda, fazendo com que o álbum “Stay Hungry” (1984) fosse o único da carreira a alcançar real sucesso – desculpem, fãs, briguem com os números.

Durante entrevista ao Vintage Rock Pod, transcrita pelo Killer Guitar Rigs, o vocalista Dee Snider não se fez de rogado ao assumir o protagonismo da empreitada. Ao contrário, ele detalha cada etapa se creditando sem modéstia.

“As ideias foram minhas. Eram os primeiros dias da MTV. Trouxeram um diretor que faria seus primeiros trabalhos no formato Ele já havia feito vídeos de shows antes, mas não videoclipes. Chamava-se Marty Callner e se tornou um dos maiores dos anos 80 no rock. Ainda somos amigos até hoje. A propósito, é um dos poucos amigos que tenho no mundo dos negócios.”

- Advertisement -

A relação foi frutífera, de acordo com Dee, porque Marty soube escutar sua proposta.

“Ele foi legal e inteligente o suficiente para perceber em mim um jovem dedicado e apaixonado. Perguntou: ‘O que você vê neste vídeo?’ Eu disse: ‘Papai está gritando com o filho. O filho se vira para mim e arrasta o pai escada abaixo.’ Ele anotou tudo. Assim construímos os vídeos de ‘We’re Not Gonna Take It’ e ‘I Wanna Rock’, que se tornaram vídeos históricos.”

MTV não aprovou

No entanto, como acrescenta Snider, o produto final desagradou a alguns dos chefões da MTV. Les Garland, executivo sênior da emissora, não aprovou o conteúdo.

“As pessoas não estavam realmente fazendo esse tipo de coisa, onde você tinha toda uma atuação. Na verdade, a primeira coisa que Les Garland disse foi: ‘Este não é um vídeo de rock. Isso é atuação.’ Ele cortou toda a introdução, já começou na parte com o pai entrando no quarto e nunca deixou aquele vídeo sair da rotação média.”

Apesar do boicote, os vídeos tiveram influência crucial em outras bandas da época.

“Tornou-se um fenômeno tão grande que outras bandas, como Van Halen e Mötley Crüe começaram a imitar o estilo de narrativa do Twisted Sister. Mudamos a regra do jogo.”

Twisted Sister e “Stay Hungry”

Terceiro álbum de estúdio do Twisted Sister, “Stay Hungry” vendeu mais de 3 milhões de cópias só nos Estados Unidos. Além de “We’re Not Gonna Take It” e “I Wanna Rock”, a balada “The Price” também foi lançada como single. Todas as músicas foram assinadas por Dee Snider.

Leia também:  As diferenças criativas do System of a Down, explicadas por Serj Tankian

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasTwisted Sister mudou a regra do jogo dos videoclipes, diz Dee Snider
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades