Mark Farner dispensaria reunião com o Grand Funk Railroad? Ele responde

Músico de 75 anos diz que volta à banda nunca aconteceu devido a um de seus ex-colegas

Membro fundador, guitarrista e principal vocalista do Grand Funk Railroad durante a fase áurea da banda nos anos 1970, Mark Farner deixou-a de uma vez por todas em 1998.

Don Brewer (bateria, vocais) e Mel Schacher (baixo) preencheram o vazio com Bruce Kulick (guitarra), Max Carl (guitarra, vocais) e Tim Cashion (teclados), transformando o trio em quinteto.

- Advertisement -

Apesar de todas as desavenças que levaram à sua saída, Farner, 75 anos, disse que tem tentado com todas as suas forças reunir a formação original, mas que isso nunca aconteceu devido a um de seus ex-colegas. Em uma entrevista recente à Guitar World, ele disse:

“Apresento a ideia para o Mel e o Don todos os anos nos últimos 24 anos, e eles dizem ‘não’. A culpa não é minha; é do Don Brewer. As pessoas me dizem: ‘Ah, o Don é o tipo de cara que nunca diz nunca’, mas isso não é verdade. É tudo conversa fiada.”

Nas entrelinhas, Farner desmerece a formação atual.

“Se o Don quisesse, os fãs veriam o verdadeiro Grand Funk Railroad. Eles veriam a banda que esperaram todos esses anos por ver, e nós os satisfaríamos.”

Ele também destaca a importância de fazer isso antes que seja tarde demais:

“Quando os Beatles estavam todos vivos e na ativa, eu queria vê-los. Sempre me perguntei: ‘Por que eles não se reconciliam de uma vez?’ Se o ZZ Top consegue se manter unido cada um viajando em seu próprio ônibus de turnê, por que nós não conseguimos?”

Opinião sobre formação atual

Ainda à Guitar World, Mark Farner foi convidado a opinar sobre seus substitutos; em especial Bruce Kulick, que fez parte do Kiss por um período de aproximadamente 12 anos. Ele comentou:

Leia também:  Bon Jovi faz pocket show surpresa em Nashville; veja vídeos e setlist

“Eu adoro o Bruce; que sujeito legal ele é. Ele é uma ótima pessoa e está só correndo atrás de ganhar seu dinheiro. É pé no chão e tem um coração imenso.”

Mark também garante não ter nada contra seus substitutos, ou mesmo contra os ex-colegas de banda.

“Não guardo mágoas de Bruce ou Max. Bem como não guardo mágoas de Don ou Mel. Não faz parte de mim isso, porque eu perdoo da mesma maneira que gostaria de ser perdoado. Não me interessa quem eles contratam, porque não faz sentido guardar ressentimento. Estamos aqui [na Terra] por pouco tempo; a eternidade está do outro lado, e eu planejo viver a vida eterna com amor, música e energia positiva.”

Mark Farner e a separação do Grand Funk Railroad

Mark Farner nasceu em 29 de setembro de 1948 em Flint, Michigan, Estados Unidos. Iniciou sua carreira musical nos anos 1960, quando fundou o Grand Funk Railroad juntamente com o baixista Mel Schacher e o baterista Don Brewer. A banda rapidamente ganhou reconhecimento por seu som que misturava blues e hard rock.

Durante sua carreira com o Grand Funk Railroad, a banda lançou vários álbuns de sucesso, incluindo “On Time” (1969), “Grand Funk” — também conhecido como “The Red Album” — (1969), “Closer to Home” (1970) e “We’re an American Band” (1973). Algumas das músicas mais famosas da banda incluem “We’re an American Band”, “Some Kind of Wonderful” e “Bad Time”.

Farner deixou o Grand Funk Railroad em 1998 devido a diferenças criativas e desentendimentos com outros membros da banda, que continuou a tocar e lançar músicas com outros músicos ocupando seu lugar.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasMark Farner dispensaria reunião com o Grand Funk Railroad? Ele responde
Marcelo Vieira
Marcelo Vieirahttp://www.marcelovieiramusic.com.br
Marcelo Vieira é jornalista graduado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (FACHA), com especialização em Produção Editorial pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Há mais de dez anos atua no mercado editorial como editor de livros e tradutor freelancer. Escreve sobre música desde 2006, com passagens por veículos como Collector's Room, Metal Na Lata e Rock Brigade Magazine, para os quais realizou entrevistas com artistas nacionais e internacionais, cobriu shows e festivais, e resenhou centenas de álbuns, tanto clássicos como lançamentos, do rock e do metal.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades