As lembranças de Bob Daisley sobre a fase Ray Gillen do Black Sabbath

Vocalista gravou com a banda o álbum "The Eternal Idol", mas teve seus registros substituídos pelos de Tony Martin

O quinto vocalista mais conhecido por sua passagem no Black Sabbath – considerando que Rob Halford foi um substituto temporário duas vezes – é Ray Gillen.

O cantor falecido em 1993 fez a turnê de “Seventh Star” (1986) após os seis primeiros shows com Glenn Hughes e gravou “The Eternal Idol” (1987). Porém, antes do lançamento, teve seus registros substituídos pelos de Tony Martin. Só décadas mais tarde uma versão oficial com sua performance foi disponibilizada.

- Advertisement -

Mais conhecido pela parceria – e tretas – com Ozzy em sua carreira solo, o baixista Bob Daisley participou das sessões. Em entrevista de 2021 ao The Metal Voice (transcrita pelo Ultimate Guitar), o músico lembrou como foi chamado.

“Jeff Glixman, o produtor, já havia trabalhado comigo em discos de Gary Moore. Ele telefonou e perguntou se eu teria interesse. Não estava fazendo nada, então, aceitei. Conversei com o empresário da banda e acertamos as bases. Nunca havia tocado com Tony Iommi, mas era fã de seu estilo. Dave Spitz já havia gravado alguma coisa, mas me mostraram registros sem o baixo para que eu não copiasse. Fiz algo por cima, Tony aprovou e deu liberdade para eu fazer o que bem entendesse”.

Além do baixo, Bob acabou colaborando com as letras.

“Ray havia escrito algumas coisas, mas não tinha ficado legal. Pediram que eu assumisse essa parte também. Deixei trechos do que ele criou e refiz o resto”.

Ao comparar as versões, Daisley não hesitou em dizer qual a melhor.

“Tony Martin fez um grande trabalho, mas o original era Ray. As linhas vocais haviam sido criadas por ele, vinham de seu coração. Por isso a versão dele é a melhor”.

Black Sabbath e “The Eternal Idol”

A repercussão de “The Eternal Idol” foi apenas discreta. Isso fez com que o contrato do Black Sabbath com a gravadora Warner Music não fosse renovado.

Leia também:  A reação de Pattie Boyd ao ouvir “Layla”, de Eric Clapton, pela 1ª vez

A turnê contou com a volta de Dave Spitz ao baixo, além de Terry Chimes (The Clash) substituindo Eric Singer – que acompanharia Bob Daisley em seu retorno à banda de Gary Moore – na bateria.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesAs lembranças de Bob Daisley sobre a fase Ray Gillen do Black...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades