Os guitarristas que mostraram a Zakk Wylde como pentatônica não é fácil

Artistas foram descobertos em uma época que o integrante da banda de Ozzy decidiu que não gostaria de seguir os passos de Yngwie Malmsteen

Os anos 1980 foram pródigos para fãs de guitarristas extremamente técnicos. As crias de Eddie Van Halen, Randy Rhoads e Yngwie Malmsteen pipocavam a cada canto, impressionando por seus malabarismos – embora nem sempre isso acabasse resultado no principal, ou seja, músicas boas.

Zakk Wylde não queria seguir esse caminho, especialmente tendo o mestre sueco das seis cordas em vista. Durante entrevista ao Music Radar, realizada em 2021 e resgatada pelo Ultimate Guitar, o instrumentista revelou quem o ajudou nessa “fuga” do óbvio.

“Aprendi muito sobre escala pentatônica [considerada uma das mais simples na guitarra] ouvindo John McLaughlin em ‘The Inner Mounting Flame’, da Mahavishnu Orchestra. As pessoas sempre associam a técnica a Angus Young, Jimmy Page, Eric Clapton, Jeff Beck e todos os outros guitarristas da virada dos anos 1960 para os 70.”

- Advertisement -

Além de McLaughlin, outro herói do underground guitarreiro ajudou Zakk a compreender o poder que tinha em mãos.

“A certa altura, até pensei que a escala pentatônica era meio que a saída mais fácil. Mas quando ouvi John, assim como Frank Marino em ‘Mahogany Rush Live’, simplesmente abriu novas portas em termos do que você pode fazer com essas cinco notas. É isso que torna a guitarra ótima, ela é ilimitada.”

Sobre Zakk Wylde

Nascido em Bayonne, Nova Jersey, Jeffrey Phillip Wielandt se destacou na virada dos anos 1980 para os 90, quando assumiu a guitarra na banda de Ozzy Osbourne. Entre idas e vindas, acompanha o cantor até hoje.

Leia também:  O grande diferencial de Randy Rhoads na guitarra, segundo Bob Daisley

Em 1994, fundou o Pride & Glory, projeto voltado ao hard/southern rock que lançou um álbum. Gravou dois discos solo em 1996 e 2016, “Book Of Shadows I e II”. A sonoridade é prioritariamente de arranjos acústicos e intimistas.

Desde a virada do século, lidera o Black Label Society, banda que já lançou onze álbuns de estúdio. Também comanda o Zakk Sabbath, tributo ao Black Sabbath. Recentemente, assumiu o posto de Dimebag Darrell no tributo oficial ao Pantera.

Ainda gravou com Britny Fox, Blackfoot, Damageplan, Dope, Fozzy e Black Veil Brides, entre outros. Foi testado brevemente pelo Guns N’ Roses na segunda metade dos anos 1990. Também realizou uma série de aparições em filmes e séries televisivas, incluindo ter integrado o Steel Dragon, banda fictícia de “Rockstar” (2001).

Leia também:  A opinião de Jeff Ament sobre ódio que o Pearl Jam recebe por opiniões políticas

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesOs guitarristas que mostraram a Zakk Wylde como pentatônica não é fácil
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades