O disco que fez Dave Grohl virar baterista, segundo o próprio

Álbum em questão foi lançado em 1976 e, de acordo com o líder do Foo Fighters, mudou o rumo de sua vida

Dave Grohl aprendeu a tocar bateria sozinho. Como conta em sua autobiografia “O contador de histórias: Memórias de vida e música”, o líder do Foo Fighters e baterista do Nirvana até teve uma única aula, mas passou a dominar o instrumento por conta própria, treinando com travesseiros dentro do quarto. 

Um disco especificamente o influenciou nesse processo de descoberta como batera. Conversando com a NME em 2013 (via Far Out Magazine), o músico contou que “2112”, álbum lançado pelo Rush em 1976, desempenhou um papel importante nesse quesito – sobretudo as habilidades de Neil Peart no projeto. 

“Acho que eu estava na terceira série, tinha talvez uns nove anos, e um primo que morava em Chicago, Trip, me deu o álbum ‘2112’. Fui até o quarto dele, acho que ele estava fumando maconha, senti o cheiro de incenso. Vi a capa do disco e ouvi o álbum. Foi realmente a primeira vez que ouvi um baterista à frente de uma banda. Neil Peart era inovador, um deus da bateria lendário. Eu levei o álbum para casa e isso me fez me apaixonar. A sua bateria é como uma nave espacial.”

- Advertisement -

Naquele mesmo ano da entrevista, Grohl — acompanhado do saudoso baterista Taylor Hawkins e do produtor Nick Raskulinecz — teve a oportunidade de tocar “2112 Part I: Overture”, presente no trabalho, para o próprio Rush durante o Rock and Roll Hall of Fame — quando a banda em questão foi introduzida à instituição. À Rolling Stone (via Blabbermouth), disse ter ficado nervoso.

“É aterrorizante tocar a música de sua banda favorita na frente de sua banda favorita. Uma coisa é sentar no porão e tocar ‘2112’, outra é ficar na frente do Rush usando um quimono e uma peruca e tentar fazer o wah-wah do pedal com seu sapato plataforma. Foi incrível. Quando eu ganhei o ‘2112’, tinha oito anos de idade. Isso mudou o rumo da minha vida. Ouvi a bateria. Isso me fez querer ser baterista.” 

Em 2022, durante os tributos para Hawkins em Londres, Inglaterra, e Los Angeles, nos Estados Unidos, Grohl empunhou as baquetas na mesma música. Desta vez, dividiu o palco com os membros remanescentes do Rush, Geddy Lee (vocalista, baixista e tecladista) e Alex Lifeson (guitarrista).

Leia também:  Guitarrista do Foreigner, Mick Jones revela diagnóstico de Parkinson

Dave Grohl e Neil Peart 

Quando Neil Peart morreu, em 2020, aos 67 anos, em decorrência de um tumor no cérebro, Dave Grohl prestou uma homenagem ao ídolo nas redes sociais. No texto postado, destacou mais uma vez a importância de “2112” para sua vida profissional:

“Ainda me lembro vividamente da primeira vez que ouvi  ‘2112′ quando eu era jovem. Foi a primeira vez que eu realmente ouvi um baterista. E desde esse dia, a música nunca mais foi a mesma para mim. Sua força, precisão e composição eram incomparáveis. Ele foi chamado de ‘O Professor’ por uma razão: todos nós aprendemos com ele.”

Leia também:  Conception anuncia adiamento de shows no Brasil

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasO disco que fez Dave Grohl virar baterista, segundo o próprio
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades