Roberto Carlos proíbe uso de música em filme da Netflix

Canção "Amada Amante" apareceria em produção sobre crimes financeiros; equipe do cantor recusou a proposta devido à temática da história

Roberto Carlos proibiu o uso de uma de suas músicas em um novo filme da Netflix sobre crimes financeiros. A equipe do cantor analisou o pedido e vetou a reprodução da faixa “Amada Amante” –  lançada nos anos 1970 e composta em parceria com o saudoso Erasmo Carlos.

Segundo a revista Veja, a ideia era usar a canção em cena mostrando Nelma Kodama, empresária brasileira presa em 2014 enquanto tentava ir para Milão com 200 mil euros escondidos na calcinha. À época, a mulher negou a história e disse que, na verdade, o dinheiro estava no bolso. Ela também ficou conhecida como a primeira delatora da Operação Lava-Jato.

- Advertisement -

Kodama ainda era amante do doleiro Alberto Youssef. Quando perguntada sobre o envolvimento com o homem, durante Comissão Parlamentar de Inquérito, em 2015, ela fez referência à “Amanda Amante”, declarando (via Rolling Stone Brasil):

“Amante é uma palavra que engloba tudo, né? Amante é esposa, amante é amiga. Tem até uma música do Roberto Carlos: a amada amante, a amada amante. Não é verdade? Quer coisa mais bonita que ser amante?”

Conforme comunicado ao Uol, após uma análise, o time do artista concluiu que a letra da música não encaixava na história do longa-metragem, nem apresentava qualquer semelhança com o enredo ou personagens. Portanto, não fazia sentido autorizar o seu uso. 

“A equipe que recebe as solicitações de liberação de músicas para filme, série, novela, espetáculo, enfim, para gravação, essa equipe analisou a sinopse do contexto da personagem e verificou que o poema da música, a letra da música, não tem nada a ver com a sinopse da série. E por que foi negado? Porque a personagem, o contexto da personagem, a sinopse da personagem, não tem nada a ver com o poema da música, a letra da música.”

O veto de Roberto Carlos à Netflix

Para a Folha de S. Paulo, a justificativa foi além. Nas palavras de Maurício Aires, representante da equipe de Roberto Carlos, o artista não gostaria de ver o seu trabalho atrelado a qualquer produção “sobre bandidagem”. 

“Roberto tem uma equipe grande que gerencia todas as demandas e libera as músicas para serem usadas em filmes e novelas. Quando chegou a solicitação dessa série da Netflix, que é sobre crime e bandidos, o pedido foi prontamente negado. A série fala de bandidagem. Não tem nada a ver com a música ou com a poesia de Roberto. A equipe já sabe que ele não gostaria de ver sua música envolvida com esse tema.” 

Leia também:  Diretor que comeu só McDonald’s por um mês para documentário morre aos 53 anos

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasRoberto Carlos proíbe uso de música em filme da Netflix
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades