Fã de Eric Clapton, Ed Sheeran conta por que não quis virar guitar hero

Popstar é grande fã do Slowhand e de John Mayer, mas escolheu conscientemente seguir por outro caminho

Ed Sheeran declaradamente não é um artista de poucas influências. Do pop ao metal extremo, o músico gosta de absorver referências distintas e agregar à sua obra – vide a tão esperada parceria com a banda inglesa de black metal Cradle of Filth, que deve ganhar lançamento oficial ainda este ano.

Durante aparição no Howard Stern Show, do sistema de rádio pago SiriusXM, o astro se declarou admirador dos guitarristas conhecidos como shredders. Porém, explicou o que o levou a não se enveredar por esses complexos caminhos musicais. Conforme transcrição do Ultimate Guitar:

“Essa é uma coisa que não sou capaz de fazer. Eu meio que fiz uma escolha quando era mais jovem. Se eu quero ser John Mayer ou Eric Clapton, tenho que aprender tudo isso. Se eu quero ser Damien Rice, só preciso de quatro acordes.”

- Advertisement -

Mesmo assim, Sheeran não esconde sua admiração pelo segundo nome citado acima.

“Lembro de assistir o Jubileu de Ouro da Rainha quando tinha 11 anos. Eric Clapton apareceu, tocou as notas de abertura de ‘Layla’ e eu fiquei tipo: ‘que diabos é isso?’. Então fui atrás do álbum do Derek and the Dominos, também peguei o ‘Eric Clapton Greatest Hits’, ‘Eric Clapton Unplugged’ e aprendi todas as músicas. Mas ‘Layla’ foi a primeira e única coisa que pude tocar em muito tempo.”

Leia também:  A curiosa epifania que fez Gene Simmons parar de enrolar esposa após 28 anos

A admiração se transformou em amizade após Ed ter comprado uma réplica da guitarra usada por Clapton no show em questão.

“Apareci com ela no programa de Jools Holland. No dia seguinte, recebo um email com o título ‘E’. O conteúdo apenas dizia ‘bela guitarra’. Logo me dei conta de que era ele, respondi e nos tornamos amigos desde então.”

Ed Sheeran inocentado em ação por plágio

Nos últimos dias, Ed Sheeran foi inocentado de um processo de plágio movido pelos herdeiros de Ed Townsend, co-compositor de “Let’s Get It On”, clássico de Marvin Gaye. A família alegava que a canção havia sido copiada em “Thinking Out Loud”, sucesso de 2014. O advogado da acusação ainda mostrou um vídeo à corte onde o cantor fazia um mashup ao vivo das duas músicas, argumentando ser uma admissão tácita de culpa.

A defesa, por outro lado, consistiu em apontar como a sequência de acordes das duas canções são bem comuns na música pop. Durante seu depoimento, o artista fez até mashups de “Thinking Out Loud” com músicas de Van Morrison. Sheeran chegou a declarar que abandonaria a carreira caso perdesse a causa.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesFã de Eric Clapton, Ed Sheeran conta por que não quis virar...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades