Joe Lynn Turner detona última formação do Rainbow: “sem fogo, inútil”

Para o cantor, nem mesmo o guitarrista Ritchie Blackmore estava tocando bem nos shows recentes

Desde o anúncio da nova formação do Rainbow, em 2015, o vocalista Joe Lynn Turner fez questão de externar seu descontentamento por ter ficado de fora. Apesar de o lineup considerado clássico pela maior parte dos fãs ser com Ronnie James Dio no microfone, foi com o terceiro frontman que a banda alcançou seu maior sucesso comercial.

Em nova entrevista à Rolling Stone, o intérprete voltou a falar sobre o tema. E forneceu alguns detalhes sobre a proposta de reunião rejeitada por Ritchie Blackmore e os responsáveis pela administração de sua carreira.

“Eu vou te dar a versão curta disso. Meses e meses antes, um amigo meu, Barry Summers, responsável pelo filme 3D do Guns N’ Roses (‘Appetite For Democracy 3D: Live At The Hard Rock Casino’) queria fazer a mesma coisa com o Rainbow. Eu estava recebendo ligações de Carole Stevens, empresária de Ritchie e mãe de Candice Night (esposa do guitarrista e vocalista do Blackmore’s Night). O que aconteceu é que ela convenceu Ritchie de que eu queria metade de tudo e milhões de dólares.”

- Advertisement -

Além de garantir que o antigo patrão estava sendo ludibriado, Turner buscou alternativas viáveis para concretizar o negócio.

“Falei com Rick Franks, da Live Nation. Ele era o cara principal naquela época. Fizemos uma teleconferência sem quatro ou cinco outros agentes. Eu estava na ligação com os agentes primeiro. De repente, ouvi: ‘olá, aqui é Rick Franks’. E então silêncio. Foi como se o rei tivesse entrado. Eu não sabia quem ele era. Ele disse: ‘Joe, se você conseguir o aval de Blackmore, eu o colocarei em 164 datas por ano. Vou arranjar as melhores vagas nos festivais. Farei de vocês uma atração especial. Porque sua ideia de uma reunião extravagante é simplesmente perfeita.”

Ideia original

A ideia era não apenas reunir uma formação, mas colocar no palco vários músicos de diferentes épocas.

“Eu queria chamar os outros vocalistas, Doogie White e Graham Bonnet. Se Ronnie James Dio estivesse vivo, eu o teria convidado. Todos os ex-membros em um show de duas horas e meia. Muita gente, inclusive minha esposa que tem metade da minha idade, nunca nos viu ao vivo. Eles adoram os discos, mas nunca assistiram um show nosso.”

De qualquer modo, as propostas não convenceram os representantes de Blackmore.

“Estava tentando convencer Carole, mas ela é uma maníaca por controle. Qualquer um vai te dizer isso. Ouvi de uma fonte muito confiável, um insider, um produtor, exatamente o que ela estava dizendo a Ritchie. Ela estava contando um monte de mentiras. Me ofereceram um salário. Eu disse, ‘Um salário?’ Contei ao Bob Daisley (baixista). Eu queria trazê-lo. Ele é um bom amigo meu. Daisley disse, ‘Eu não vou trabalhar por um salário.’ Eu digo: “Não. Como poderíamos trabalhar por um salário? Precisamos de uma pequena porcentagem dessa coisa.’”

“Blackmore’s Night tocando Rainbow”

No fim das contas, uma nova formação foi montada em torno do guitarrista. E ela não tem a aprovação de Joe.

“Candice aparentemente encontrou esse cantor, Ronnie Romero, no YouTube. Vendeu a ideia a Ritchie e pagou uns trocados ao cara. Pronto, eles tinham um vocalista substituto que nunca escreveu uma música. E chamaram isso de Rainbow. Eles teriam ganhado mais dinheiro fazendo o que eu queria.”

Quanto às performances, a reprovação é ainda maior.

“Era o Blackmore’s Night tocando Rainbow. Não havia fogo. Não havia nada lá. Era inútil. Nem o próprio Ritchie estava tocando bem. Fui à imprensa e o acusei de destruir o legado da banda, o que é verdade. Eu falo o que penso.”

A última formação do Rainbow

Além do vocalista Ronnie Romero, acompanharam Blackmore o tecladista Jens Johansson (Stratovarius) e a “cozinha” do Blackmore’s Night, formada pelo baixista Bob Nouveau e o baterista David Keith. Candice e Lady Lynn fizeram backing vocals.

Leia também:  Veja lineup completo do Rock in Rio 2024

O último show dessa formação do Rainbow aconteceu dia 15 de junho de 2019, em Fuengirola, Espanha. Desde então, nenhuma nova atividade foi anunciada.

Veja também:

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasJoe Lynn Turner detona última formação do Rainbow: “sem fogo, inútil”
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades