A briga que colocou Charlie Sheen para fora de “Two and a Half Men”

Ator, que sofreu com o vício em drogas, foi demitido após detonar publicamente o criador da série

Durante anos, Charlie Sheen foi a grande estrela da série “Two and a Half Men”, que fez sucesso em todo o planeta. No entanto, os fãs mal sabiam que o ator, com o passar dos anos, havia voltado a sofrer com seu vício em drogas, o que acarretou em sua chocante demissão do show, ocorrida em 2011.

­

- Advertisement -

Na época, o intérprete de Charlie Harper, que teve de deixar as gravações da série para tratar o problema, aproveitou a ocasião para detonar o diretor, produtor e roteirista Chuck Lorre, criador do show, e toda sua produção. As declarações, claro, foram o estopim para sua dispensa.

A seguir, vamos explicar exatamente o que aconteceu nesta briga que fez Charlie Sheen ser demitido de “Two and a Half Men”. As informações são da Wikipédia, TV Insider e The Things.

O vício em drogas de Charlie Sheen

A desavença que resultou na demissão de Charlie Sheen de “Two and a Half Men” começou em 2010. Em fevereiro daquele ano, o ator teve de ir a uma clínica de reabilitação de dependentes químicos e as filmagens tiveram de ser paralisadas por um tempo até serem retomadas no mês de abril.

Na mesma época, começaram a surgir rumores de que Sheen estava pensando em pedir demissão da série, pois acreditava que estava recebendo pouco (US$ 1 milhão por episódio) por conta do sucesso feito por “Two and a Half Men”. Em maio, essa questão salarial foi resolvida e Charlie Sheen passou a ganhar US$ 1,78 milhão por cada capítulo gravado.

No entanto, já em janeiro de 2011, o ator precisou ser novamente internado em uma clínica de reabilitação – isso sem contar que ele teria se envolvido em um caso de violência doméstica e demonstrado instabilidade emocional em público. 

Jon Cryer, intérprete de Alan Harper no show, revelou em 2022 ao Entertainment Tonight que foi uma “alegria” contracenar com Sheen nas primeiras temporadas, já que ele estava há algum tempo sem sofrer com o vício em drogas. No entanto, começou a notar que o comportamento do colega foi mudando.

“Eu dizia: ‘esse é um tipo de piada que você não tinha nenhum problema há um ano e meio e, de repente, se tornou um problema?’. Sabem, começou bem sutil. Levou um tempo pro negócio começar a sair dos trilhos.”

Também em janeiro de 2011, a Warner Bros. Television, responsável pelo show junto do canal CBS, anunciou que por conta da ausência de Sheen, a produção da oitava temporada – que ainda estava em andamento – ficaria paralisada por tempo indeterminado. No mês seguinte, o ator aprontou e causou sua demissão de “Two and a Half Men”.

Ofensas ao criador de “Two and a Half Men”

Durante o período em que deveria estar tratando seu problema com drogas, Charlie Sheen concedeu entrevistas para o polêmico apresentador de rádio americano Alex Jones e o site TMZ. Em ambas, o ator criticou abertamente o criador de “Two and a Half Men”, Chuck Lorre. Chamou o profissional de “nazi”, “palhaço”, “charlatão”, “verme” e “perdedor”, entre outras coisas mais.

Leia também:  O lado do Led Zeppelin que Bruce Dickinson não gostava

Sheen também criticou abertamente o próprio seriado, ao descrevê-lo da seguinte maneira em uma das entrevistas:

“(É um) festival de vômito (em menção às piadas feitas dentro do show) que todos veneram.”

No dia 25 de fevereiro de 2011, por conta das declarações de Charlie Sheen, a Warner Bros. Television anunciou que a produção da oitava temporada de “Two and a Half Men” estava cancelada. Os oito episódios restantes não seriam mais gravados. 

A notícia, claro, também foi encarada por muitos fãs como um indicativo de que o popular show estava prestes a ser cancelado. Afinal, a grande estrela dele fez questão de detoná-lo publicamente e uma demissão parecia iminente.

No entanto, Charlie não aparentou dar a mínima com o possível fim do show. Para um programa de rádio após o anúncio (via Los Angeles Times), ao ser perguntado se não estava preocupado com as pessoas que poderiam perder seus empregos, o ator pediu para que todos sejam pacientes devido a uma guerra com a produção.

“Tenham paciência. Mantenham-se focados. Estamos em guerra. Existem maneiras de lidarmos com esses palhaços e pegar todo o dinheiro deles.”

Sheen também aproveitou a ocasião para detonar o que ele via como ganância por parte de toda a produção de “Two and a Half Men”, além de considerar o ambiente de gravações um local tóxico.

“Eu coloquei um bilhão de dólares nos bolsos do estúdio e meio bilhão de dólares nos bolsos do Chuck. E é esse o ‘obrigado’ que recebo? […] Foi um ambiente tóxico por oito anos. Me sentia como um parente que não era bem-vindo e recebia café gelado às oito da noite todo dia.”

Por fim, Sheen também reclamou das interferências da produção em sua vida pessoal.

“Eles ficavam me perturbando, ficavam me dizendo sobre como deveria viver minha vida. Eu ficava dizendo ‘para trás’, ‘para trás’ e não me escutaram.” 

A demissão de Charlie Sheen

Como todos já sabemos, essas inúmeras declarações de Charlie Sheen contra Chuck Lorre e “Two and a Half Men” não passaram em branco. Tudo isso resultou em sua demissão do show, confirmada no dia 7 de março de 2011 pela Warner Bros e a CBS.

Toda a situação também não foi fácil para Chuck Lorre. Em entrevista de 2022 a um programa de rádio (via E! Online), o produtor revelou que por conta da situação envolvendo a demissão de Sheen, passou um tempo sem conseguir assistir ao próprio seriado que criou – e admitiu que o ator fez um ótimo trabalho.

“Durante uns dois anos eu não consegui assistir. Doía demais. Eu consigo aproveitar agora. Te digo, ele (Sheen) fez um trabalho brilhante.”

O futuro da produção, claro, ficou em cheque com o desligamento do seu principal ator – ainda mais se considerarmos que nada sobre seu futuro foi confirmado após o anúncio da demissão. Até o próprio Jon Cryer admitiu que a saída do colega fez ele e Chuck Lorre acreditarem que a série estava com os dias contados.

Leia também:  A curiosa razão pela qual Andre Matos queria tirar Kiko Loureiro do Angra

“Quando Charlie foi dispensado do show, o primeiro pensamento entre nós era: ok, é isso, foi muito bom, mas a partir desse ponto, acabou pra nós.”

“Two and a Half Men” sem Charlie Sheen

Ainda assim, “Two and a Half Men” não se deu por vencida e mostrou que poderia seguir sem Charlie Sheen.

Em abril de 2011, Chuck Lorre revelou que já tinha sua ideia para fazer o show continuar. No mês seguinte, a CBS confirmou que Ashton Kutcher se juntou ao elenco principal para ser o “substituto” do ator. Ele interpretaria um bilionário chamado Walden Schmidt.

Meses depois, foi confirmado que o personagem de Sheen na série, Charlie Harper, havia morrido. A nova temporada começaria com o funeral do personagem, com a presença de várias de suas ex-namoradas. Assim, a nona temporada fez sua estreia normalmente.

Muita gente acreditou que “Two and a Half Men” não teria o mesmo sucesso sem Charlie no elenco, mas essas pessoas se enganaram: o episódio de estreia da nona temporada foi visto por quase 28 milhões de pessoas nos Estados Unidos e se tornou o mais visto do show até então.

Além disso, a presença de Kutcher foi elogiada e houve um consenso de que ele ajudou a manter o show popular. Tanto que se tornou o ator mais bem pago da televisão entre 2012 e 2013 e permaneceu em “Two and a Half Men” até o final da produção, em fevereiro de 2015.

Arrependimento posterior

Anos depois, o próprio Charlie Sheen se mostrou arrependido por seu comportamento. Em 2018, pouco após ter revelado que tinha HIV e estava em dificuldades financeiras, revelou seu desejo de se acertar com Chuck Lorre.

“É uma coisa que eu preciso consertar!”

E em 2011, 10 anos após a demissão, ele assumiu que estava, de fato, sofrendo com o vício em drogas na época – e que teria feito as coisas diferente.

“Se pudesse voltar no tempo naquele momento, teria embarcado no avião (em menção ao fato de que um executivo da Warner ofereceu ao ator um voo para ir a uma clínica de reabilitação). Aquele momento foi uma curva que levou a, vocês sabem, uma sequência infeliz de eventos públicos e insanos.”

Agora, parece que tanto Charlie Sheen quanto Chuck Lorre se acertaram e deixaram suas diferenças de lado. Afinal, os dois voltarão a trabalhar juntos na série “How to Be a Bookie”, exclusiva do streaming Max (substituto do HBO Max) e que ainda não tem data para estrear.

Os fãs, agora, apenas esperam que os dois tenham mesmo se acertado e que as drogas não atrapalhem a carreira de Sheen.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA briga que colocou Charlie Sheen para fora de “Two and a...
Augusto Ikeda
Augusto Ikedahttp://www.igormiranda.com.br
Formado em jornalismo pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atua no mercado desde 2013 e já realizou trabalhos como assessor de imprensa, redator, repórter web e analista de marketing. É fã de esportes, tecnologia, música e cultura pop, mas sempre aberto a adquirir qualquer tipo de conhecimento.

4 COMENTÁRIOS

  1. Espero que dê certo essa união dos dois novamente,pois é um grande passo para two and a half men voltar um dia… ah como eu sonho com isso todos os dias .

  2. Que cara insuportável. Eu não era fã da série, assisti alguns e achava ele o mais sem graça. O Alan, seu filho e a empregada é que faziam a graça. Claro que, com o tempo, o público se acostuma com os atores e a saída de qualquer um deixa uma lacuna difícil de preencher.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades