A relação entre Chorão e Rodolfo Abrantes, que falavam até de religião

Segundo ex-vocalista do Raimundos, líder do Charlie Brown Jr não o julgava por suas crenças; cantores se encontraram pela última vez em 2007

Rodolfo Abrantes, ex-vocalista dos Raimundos, tinha uma relação próxima com Chorão, líder do Charlie Brown Jr falecido em 2013. Os artistas gostavam não só de cantar juntos (inclusive gravando juntos a música “Bons Aliados” em 1999), como também de sair e falar sobre a vida – o que incluía o tópico religião.

Conversando com o G1 em 2013, Rodolfo relembrou alguns desses momentos. Ele, que se converteu religiosamente no início do século, explicou ainda por que admirava a personalidade de Chorão.

“Ele ia na minha casa, eu ia na dele. Chegou até a me dar um skate, saíamos juntos. E tocávamos juntos, fazíamos shows. Gostava muito dele porque era uma pessoa real. Não era um personagem, ele era aquela figura. Ainda que você não concorde muito com coisas que pessoas fazem, tem que admirar quando elas são verdadeiras, esse é um terreno sagrado.”

- Advertisement -
https://youtu.be/Sg3_gvRGf3A

Em 2001, após conversão ao cristianismo — que, em suas palavras, o fez “largar as drogas” e “ser feliz de verdade” —, Abrantes deixou o Raimundos e formou o grupo Rodox, encerrado em 2004. Chorão não o julgou pela decisão de sair e quis entender melhor as experiências do cantor.

“Reencontrei o Chorão em show em Belo Horizonte, com Charlie Brown e Rodox, em 2003. No camarim ele chegou para mim, puxou numa cadeira, distante de outras pessoas, e falou: ‘Conta como foi a parada’. Eu contei como foi a minha experiência com Deus. Achava fantástico isso no Chorão: ele estava ouvindo, absorvendo, não me julgou. Dava pra ver que percebeu a diferença na minha vida e queria saber o que estava acontecendo.”

Segundo apuração do G1, o vocalista do Charlie Brown Jr cita diretamente Deus em doze faixas do grupo. O ex-Raimundos pontuou que Chorão, apesar de não seguir nenhuma religião, tinha potencial para “levar multidões para Cristo” devido ao talento e alcance com suas composições.

“Eu lembro nessa conversa, em Belo Horizonte, que ele me mostrou a música [‘Lugar ao Sol’] em que canta ‘azul é a cor da parede da casa de Deus’. E cantou inteira. É uma música muito bonita. Não bíblica, mas sobre a impressão dele de Deus. Existia uma sede dele de algo mais, existia uma consciência de que o que ele precisava era Deus, e do jeito dele, fez muito bem.”

O último encontro

Por estar em João Pessoa na época, Rodolfo não conseguiu ir ao velório do amigo em Santos. O último encontro presencial entre os dois aconteceu em 2007, quando gravou um CD ao vivo em São Paulo.

“A gente tinha muitos amigos em comum, um deles é o Tarobinha, skatista profissional, e hoje faz parte da mesma igreja que eu. Ele convidou o Chorão, ele estava em Santos. Ele pegou o carro dele, foi lá ao show, a gente conversou bastante e eu fiquei muito feliz de vê-lo ali. Na minha despedida dele, eu gostaria de olhar nos olhos do Chorão e falar alguma coisa que tocasse o coração dele. Infelizmente eu não posso mais.”

Sobre Chorão

Alexandre Magno Abrão, mais conhecido como Chorão, nasceu em São Paulo no dia 9 de abril de 1970. Consagrou-se como vocalista, compositor, membro fundador e líder da banda Charlie Brown Jr.

Leia também:  Hoodoo Gurus, GANGgajang e Spys anunciam 5 shows no Brasil para agosto

De família humilde, Chorão teve uma infância conturbada, marcada pelo divórcio dos pais e pela rebeldia que o levou aos 14 anos a praticar skate, esporte onde se destacou e se profissionalizou na década de 1980.

Iniciou a trajetória na música por acaso, cantando de improviso em um bar. Logo foi convidado para assumir os vocais da banda santista What’s Up, onde conheceu o baixista Champignon, com quem mais tarde formou o Charlie Brown Jr. A banda se tornou popular no circuito de shows de Santos e de São Paulo. No início da década de 1990, assinaram contrato com a gravadora Virgin Records.

O álbum de estréia “Transpiração Contínua Prolongada” (1997) lançou o grupo ao estrelato, e os tornou um dos maiores fenômenos do rock nacional do fim da década de 1990 e início dos 2000. O sucesso foi mantido nos anos seguintes, mesmo com mudanças de formação que fizeram do cantor o único integrante a participar de toda a trajetória.

Leia também:  Biografia de Eric Carr (Kiss) será lançada no Brasil em junho

Chorão faleceu no dia 6 de março de 2013, aos 42 anos de idade, em decorrência de uma overdose de cocaína.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasA relação entre Chorão e Rodolfo Abrantes, que falavam até de religião
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades