Astros do rock lamentam morte de Jeff Beck, gigante da guitarra

Músico faleceu aos 78 anos após contrair meningite bacteriana de forma repentina, segundo a família

Diversos músicos do rock expressaram seus sentimentos após a notícia da morte de Jeff Beck. O guitarrista, um dos maiores de todos os tempos, faleceu aos 78 anos após contrair meningite bacteriana.

Confira abaixo algumas das homenagens.

- Advertisement -

Ronnie Wood (Rolling Stones, Jeff Beck Group, Faces): “Agora que Jeff se foi, sinto que um dos meus irmãos deixou este mundo e que vou sentir muito a falta dele. Estou enviando muita solidariedade a Sandra, sua família e a todos que o amavam. Quero agradecê-lo por todos os nossos tempos iniciais juntos no Jeff Beck Group, conquistando a América pela primeira vez. Musicalmente, estávamos quebrando todas as regras, foi um rock ‘n’ roll fantástico e inovador! Ouça a incrível faixa ‘Plynth’ em sua homenagem. Jeff, eu sempre vou te amar. Deus abençoe.”

https://www.instagram.com/p/CnSs9JkqlOh/

Mick Jagger (Rolling Stones): “Com a morte de Jeff Beck perdemos um homem maravilhoso e um dos maiores guitarristas do mundo. Todos nós sentiremos muito a falta dele.”

Jimmy Page (Led Zeppelin): “O guerreiro de seis cordas já não está aqui para admirarmos o feitiço que ele poderia tecer em torno das nossas emoções mortais. Jeff canalizava música do etéreo. Sua técnica única. Suas imaginações aparentemente ilimitadas. Jeff, vou sentir a sua falta junto com os seus milhões de fãs. Jeff Beck, descanse em paz.”

https://www.instagram.com/p/CnSqk8rDxZR/

Ozzy Osbourne (Black Sabbath, solo): “Não consigo expressar o quanto estou triste ao saber da morte de Jeff Beck. Que perda terrível para sua família, amigos e seus muitos fãs. Foi uma honra ter conhecido Jeff e uma honra incrível tê-lo no meu álbum mais recente, ‘Patient Number 9’. Viva Jeff Beck!”

David Gilmour (Pink Floyd): “Estou arrasado por saber da notícia da morte de meu amigo e herói Jeff Beck, cuja música emocionou e inspirou a mim e a inúmeras outras pessoas por tantos anos. Meus sentimentos e os de Polly vão para sua adorável esposa Sandra. Ele estará para sempre em nossos corações.”

Leia também:  Sebastian Bach conta por que deixou de seguir Lzzy Hale nas redes sociais

Tony Iommi (Black Sabbath): “Fiquei totalmente em choque ao saber da triste notícia da morte de Jeff Beck. Jeff era uma pessoa tão legal e um excelente guitarrista, icônico e genial – nunca haverá outro Jeff Beck. Sua forma de tocar era muito especial e distintamente brilhante! Ele fará falta. Descanse em paz.”

Geezer Butler (Black Sabbath): “Chocado ao saber da morte repentina de Jeff Beck. Verdadeiramente um dos grandes. A primeira vez que o vi foi em 1966 com os Yardbirds. Guitarrista brilhante e único. Descanse em paz.”

Dave Davies (The Kinks): “Estou com o coração partido, ele parecia em boa forma para mim. Tocando muito bem, estava em ótima forma. Estou chocado e desnorteado. Meus mais profundos sentimentos à esposa, amigos, parentes. Estou desnorteado. Jeff Beck, não faz sentido, não entendo. Ele era um bom amigo e um grande guitarrista.”

Paul Stanley (Kiss): “UAU. Que notícia terrível. Morreu Jeff Beck, um dos mestres da guitarra de todos os tempos. De Yardbirds e Jeff Beck Group em diante, ele abriu uma trilha impossível de se superar. Toque agora e para sempre.”

Leia também:  Dave Mustaine pede ideias de colegas para novo álbum do Megadeth

Gene Simmons (Kiss): “De coração partido ao dizer que o grande Jeff Back infelizmente faleceu. Ninguém tocava guitarra como Jeff. Por favor, ouça os dois primeiros álbuns do Jeff Beck Group e contemple a grandeza.”

Sammy Hagar (Van Halen, Montrose, The Circle, Chickenfoot, solo): “Com certeza um dos meus guitarristas favoritos de todos os tempos! O álbum ‘Truth’ mudou minha vida. Como cantor e guitarrista, eu queria ser Jeff Beck e Rod Stewart juntos – todos nós queríamos. Que perda. Todos sentiremos falta de Jeff. Meu amor e condolências à sua família e entes queridos.”

Glenn Hughes (Deep Purple, The Dead Daisies, Black Sabbath, solo): “Adeus ao Rei. Maior de todos os tempos. Estou chocado e triste. Nunca haverá outro como você, meu velho amigo. Descanse em paz, Jeff.”

Duff McKagan (Guns N’ Roses, Velvet Revolver, Loaded, solo): “Descanse em paz, Jeff Beck. Você sempre tratou a mim e a Susan com carinho. Um homem íntegro e especial.”

David Coverdale (Whitesnake, Deep Purple): “Oh meu coração… descanse em paz, Jeff. Eu já sinto sua falta.”

Steve Hackett (Genesis, solo): “Notícias devastadoras sobre a perda de uma lenda da guitarra muito amada e influente, Jeff Beck. Ele fez a guitarra cantar… uma poderosa influência para mim e para muitos outros.”

Andreas Kisser (Sepultura): “Descanse em paz.”

Mick Mars (Mötley Crüe): “Descanse em paz, Jeff Beck. Estou tão triste.”

Mike Portnoy (Dream Theater, The Winery Dogs, Sons of Apollo etc): “Absolutamente chocado ao saber da morte de Jeff Beck, um dos maiores de todos os tempos! Seu estilo inovador criou alguns dos meus álbuns de fusion favoritos como ‘There & Back’ e ‘Blow By Blow’ e seu DVD ‘Live at Ronnie Scott’ é uma master class absoluta. Descanse em paz, Jeff Beck.”

Sobre Jeff Beck

Nascido em 24 de junho de 1944, em Wallington, Surrey, na Inglaterra, Geoffrey Arnold Beck envolveu-se com a música inicialmente cantando em um coral de igreja. Ao conhecer o trabalho de outro revolucionário da guitarra, Les Paul, ficou impressionado e se apaixonou pelo instrumento. Porém, só começou a tocar mesmo na adolescência.

No início da vida adulta, transitou por uma série de bandas em Londres. Em 1965 juntou-se ao Yardbirds na vaga deixada por Eric Clapton. Ficou apenas um ano, período em que a banda lançou seus maiores hits. A passagem acabou mal, já que ele foi demitido por constantemente não aparecer para os shows.

Em 1967, foi a vez de arriscar-se como dono de banda: o Jeff Beck Group, com Rod Stewart nos vocais, Ronnie Wood no baixo e Micky Waller na bateria. Os primeiros álbuns do projeto, “Truth” (1968) e “Beck-Ola” (1969), são citados como fundamentais para o desenvolvimento do heavy metal. Foi considerado para substituir Syd Barrett no Pink Floyd, mas ninguém na banda teve coragem de convidá-lo.

Com o fim da formação inicial de seu próprio grupo, montou o Beck, Bogert & Appice e seguiu trabalhando em carreira solo, além de uma nova configuração do Jeff Beck Group. Explorou não apenas as já conhecidas influências do blues e rock, como também da soul music, incluindo colaborações com Stevie Wonder.

Na década de 1980, Beck restringiu seu trabalho a apenas algumas aparições em shows beneficentes. Retornou de vez com o álbum “Flash” e também se reuniu com Rod Stewart. A partir dos anos 1990, reduziu o ritmo de sua carreira, com idas e vindas e longos hiatos entre seus álbuns. Entre suas colaborações nas décadas de 1980 e 1990, estão registros com Mick Jagger, Jon Bon Jovi, Buddy Guy, Tina Turner, Seal, Duff McKagan, Brian May e ZZ Top.

Seu último trabalho completo foi “18”, uma colaboração com o ator e também músico Johnny Depp. Saiu em julho do ano passado e reuniu majoritariamente covers de artistas como Beach Boys, Marvin Gaye e The Velvet Underground. Participou também de “Patient Number 9”, álbum solo mais recente de Ozzy Osbourne, gravando guitarra em duas músicas: a faixa-título e “A Thousand Shades”.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasAstros do rock lamentam morte de Jeff Beck, gigante da guitarra
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades