Líder do Muse, Matt Bellamy fala sobre amor por Yngwie Malmsteen e Iron Maiden

Vocalista e guitarrista reconhece influências metálicas em seu background, assim como no novo disco da banda

Will of the People”, álbum mais recente do Muse, contou com vários momentos de peso – tendo em vista a trajetória da banda em questão. O trabalho chegou ao topo da parada britânica, mantendo a popularidade do trio britânico em alta.

Em entrevista à nova edição da Classic Rock, o vocalista e guitarrista Matt Bellamy confirmou que as influências metálicas estiveram mais presentes no processo criativo dessa vez. E aproveitou para lembrar algumas referências no estilo.

“Quando estávamos crescendo, ouvíamos bandas como Iron Maiden. E embora nos conectássemos mais com Nirvana, Rage Against the Machine e Smashing Pumpkins, sempre tivemos esse amor pelo metal dos anos 80. O Metallica também foi importante para nós, mas o Iron Maiden era a banda britânica e também parecia um pouco mais punk rock, de certa forma. A música ‘Phantom Of The Opera’ não parece tão exagerada ou abertamente clássica quanto outras músicas de metal. Ainda há algo bastante raivoso e assustador nela. É por isso que o Maiden é uma banda que sempre admiramos.

Esse uso da escala menor harmônica e a abordagem progressiva dos arranjos é algo que compartilhamos, mesmo que nunca soemos como eles e vivamos em um gênero diferente. Temos muito respeito por eles como músicos, especialmente Steve Harris, que é um dos melhores baixistas que existem.”

- Advertisement -

Mas a grande surpresa da conversa veio quando o repórter citou um lick de guitarra na música “You Make Me Feel Like It’s Halloween”, que faria referência a Yngwie Malmsteen. Bellamy se mostrou conhecedor do trabalho do sueco.

“Oh, brilhante! Faz algum tempo que não o ouço, mas Yngwie foi uma daquelas pessoas que conheci no início dos anos 90, quando comecei a tocar. Claramente, naquela época, pensei que havia uma chance! Depois de um tempo, percebi que simplesmente não conseguia chegar onde ele estava e meu gosto meio que se desviou para estilos de guitarra mais clássicos e flamencos. Então comecei a ouvir músicos como Hendrix e Cobain e senti: ‘Quer saber? Eu posso fazer o caos. Eu não posso fazer esta precisão técnica inacreditável, mas consigo criar uma confusão.’ Então eu segui o caminho do barulho, caos e carnificina… e pequenos elementos das outras coisas ficaram comigo.”

Muse e “Will of the People”

Além do número 1 no Reino Unido, “Will of the People” chegou ao Top 10 em outras 18 paradas internacionais. Também liderou os charts da Austrália, Nova Zelândia, Suíça, Portugal, Escócia, Itália, França, Bélgica e Áustria.

Leia também:  Quando Ozzy Osbourne disse que Dio e Tony Iommi não tinham carisma

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesLíder do Muse, Matt Bellamy fala sobre amor por Yngwie Malmsteen e...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades