Morrissey pede que Johnny Marr pare de falar sobre ele em entrevistas

“Você poderia, por favor, discutir sua própria carreira, suas próprias conquistas solo imparáveis e sua própria música?”, questionou o ex-vocalista do The Smiths em carta aberta ao guitarrista

A essa altura dos acontecimentos, nem o mais fanático dos admiradores ainda anseia por uma reunião do The Smiths – só os psicopatas, mas aí é outra história. Para deixar isso cada vez mais claro, Morrissey resolveu publicar uma carta aberta pedindo que Johnny Marr pare de citá-lo.

Em recente entrevista à revista Uncut, promovendo o álbum “Fever Dreams Pt 1-4”, o guitarrista voltou a confirmar a distância do antigo colega. Conforme transcrito pela NME, ele declarou:

“Sou próximo de todas as pessoas com que trabalhei, exceto por aquele que é óbvio. Temos muitas diferenças.”

Foi o suficiente para o cantor publicar o seguinte texto em seu site oficial:

“Carta aberta a Johnny Marr

Este não é um discurso retórico ou uma manifestação bombástica e histérica. É um pedido educado e calmamente medido: Você poderia, por favor, parar de mencionar meu nome em suas entrevistas?

Você poderia, por favor, discutir sua própria carreira, suas próprias conquistas solo imparáveis e sua própria música? Se puder, por favor, me deixe fora disso. O fato é: você não me conhece. Você não sabe nada da minha vida, minhas intenções, meus pensamentos, meus sentimentos. No entanto, você fala como se fosse meu psiquiatra pessoal com acesso consistente e ininterrupto aos meus instintos. Não nos conhecemos há 35 anos – o que é muitas vidas atrás.

Quando nos conhecemos, você e eu não tínhamos sucesso. Ajudamos um ao outro a ser o que somos hoje. Você não pode simplesmente deixar as coisas assim? Precisa persistentemente, ano após ano, década após década, me culpar por tudo… desde o tsunami de 2007 nas Ilhas Salomão até a baba no queixo de sua avó?

Você me achou inspirador o suficiente para fazer música comigo por seis anos. Se eu fosse, como você afirma, um monstro tão desagradável, o que exatamente isso lhe causou? Foi sequestrado? Mudo? Acorrentado? Abduzido por extraterrestres vesgos? Foi VOCÊ quem tocou guitarra em ‘Golden Lights’ – não eu.

Sim, todos nós sabemos que a imprensa britânica publicará qualquer coisa que você disser sobre mim, desde que seja cruel e selvagem. Mas você causou tudo isso. Siga em frente. É como se você não pudesse descruzar as próprias pernas sem me mencionar. Nosso período juntos foi há muitas vidas, muito sangue correu debaixo da ponte desde então. Chega um momento em que você deve assumir a responsabilidade por suas próprias ações e sua própria carreira, com a qual desejo que você desfrute de boa saúde.

Pare de usar meu nome como isca de cliques. Eu nunca ataquei seu trabalho solo ou sua vida. Aplaudi abertamente sua genialidade durante os dias de ‘Louder Than Bombs’ e ‘Strangeways, Here We Come’. Mas você sempre está pronto para um ataque quando a imprensa cria uma polêmica descontextualizando algo que eu disse durante o último período glacial, quando o rio Colorado começou a esculpir o Grand Canyon. Por favor pare. É 2022, não 1982.”

Sobre o The Smiths

Com Morrissey e Johnny Marr, o The Smiths lançou quatro álbuns de estúdio entre 1984 e 1987.

Fundindo o pós-punk com influências do rock dos anos 1960 se tornando um dos grupos mais importantes a emergir da cena britânica independente em todos os tempos, influenciando as gerações posteriores. Todos os discos da banda entraram no top 5 do Reino Unido.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
26
Share