“Short Cut, Draw Blood”: álbum lançado por Jim Capaldi em 1975 chega ao streaming

“Short Cut, Draw Blood”, álbum divulgado por Jim Capaldi em 1975, está ganhando lançamento digital pela Island Records. O músico, falecido em 2005, foi baterista do Traffic.

“Short Cut, Draw Blood”, álbum divulgado por Jim Capaldi em 1975, está ganhando lançamento digital pela Island Records.

Jim Capaldi (1944-2005), ídolo do rock britânico, consagrou-se como baterista e fundador do grupo Traffic, além de ter trabalhado como artista solo e colaborado com músicos renomados. Quem no Brasil não se lembra de sua versão em inglês para o sucesso “Anna Julia”, do Los Hermanos, com o ex-guitarrista dos Beatles, George Harrison?

- Advertisement -

Embora seja mais lembrado como baterista, Capaldi era também um dos principais compositores do Traffic, junto de Steve Winwood. Escreveu clássicos como “Dear Mr. Fantasy”, que voltou às paradas em 2019 na trilha do filme “Vingadores: Ultimato”, da Marvel.

Agora, “Short Cut, Draw Blood” (1975), considerado seu melhor álbum solo, foi remasterizado e disponibilizado pela primeira vez para streaming e download nas plataformas digitais. Clique aqui para acessar o disco em seu streaming favorito ou confira abaixo, via Spotify.

“Short Cut, Draw Blood” é o terceiro disco solo de Jim Capaldi e foi lançado logo após a separação do Traffic. No entanto, a base sonora para os versos de Capaldi contou com a ajuda de seus colegas de grupo Steve Winwood e Chris Wood, além de músicos do estúdio Muscle Shoals (que acompanharam ou produziram Rolling Stones, Bob Dylan, Aretha Franklin, Rod Stewart, entre outros) no Alabama, onde uma parte do disco foi gravada (a outra foi no estúdio da Island, em Londres), e do lendário guitarrista de estúdio Chris Spedding.

Leia também:  Ghost lança a música inédita “The Future is a Foreign Land”

Musicalmente, o registro explora estilos como jazz, soul, ritmos latinos e africanos. Em termos de letras, conforme material de divulgação enviado pelo jornalista e escritor Leandro Souto Maior, “Short Cut, Draw Blood” chama atenção pelos temas sociais e políticos levantados, que ainda soam relevantes.

O texto aponta que a faixa-título, por exemplo, mira na elite social, econômica e política, alertando para a destruição climática e a ganância das grandes empresas em uma canção que, em sua construção e conteúdo, traz ecos de “Hurricane”, de Bob Dylan.

Apoiador das causas sociais, Jim Capaldi lançou anos depois o álbum “Favella Music” (1981), abordando dos problemas sociais brasileiros. Em 2009, sua esposa, a carioca Aninha Capaldi, deu início ao Centro Musical Jim Capaldi, oferecendo oficinas de música gratuitas dentro da Associação Beneficente São Martinho, em Vicente de Carvalho, zona norte do Rio de Janeiro.

Ainda de acordo com o press-release, os fãs podem esperar ouvir mais músicas do saudoso artista, incluindo edições especiais, lançamentos físicos, raridades, outtakes, compilações e lados B com lançamento pelo Jim Capaldi Estate ao longo de 2021.

Jim Capaldi – “Short Cut, Draw Blood”

  1. Goodbye Love
  2. It’s All Up to You
  3. Love Hurts
  4. Johnny Too Bad
  5. Short Cut Draw Blood
  6. Living on a Marble
  7. Boy with a Problem
  8. Keep on Trying
  9. Seagull

* Texto publicado com base no press-release enviado pelo jornalista e escritor Leandro Souto Maior.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioLançamentos"Short Cut, Draw Blood": álbum lançado por Jim Capaldi em 1975 chega...
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades