Curiosidades Listas Topo

10 curiosidades sobre o filme ‘Quase Famosos’, lançado há 20 anos



‘Quase Famosos’, cujo título original é ‘Almost Famous’, é um dos grandes clássicos entre os filmes sobre rock. Lanado em 13 de setembro de 2000, o longa tem direção de Cameron Crowe e é inspirado nas experiências que ele teve como jornalista da ‘Rolling Stone’ na década de 1970.

O enredo narra a história de um um jovem aspirante a jornalista que acompanha a turnê de uma banda chamada Stillwater pelos Estados Unidos. O grupo é fictício, mas tocavam músicas realmente inéditas, gravadas por nomes de peso do segmento.

Apesar de não ter obtido boa arrecadação em bilheteria, ‘Quase Famosos’ se tornou uma espécie de clássico cult e ganhou reconhecimento da crítica especializada, com direito a quatro indicações ao Oscar de 2000 – vencendo uma delas, de Melhor Roteiro Original. Além disso, o longa conquistou dois Globos de Ouro, por Melhor Filme de Comédia ou Musical e por Atriz Coadjuvante (destinado a Kate Hudson, que deu vida a Penny Lane), e um Grammy já em 2001 por Melhor Trilha Sonora.

Kate Hudson e Patrick Fugit em ‘Quase Famosos (foto: divulgação)

Além da já mencionada Kate Hudson, o elenco conta com Patrick Fugit (como William Miller), Billy Crudup (como Russell Hammond), Frances McDormand (como Elaine Miller), Jason Lee (como Jeff Bebe), Zooey Deschanel (como Anita Miller), Anna Paquin (como Polexia Aphrodisia), Philip Seymour Hoffman (como Lester Bangs) e Jimmy Fallon (como Dennis Hope), Terry Chen (como Ben Fong-Torres), entre outros. O elo com a realidade é tão claro que Bangs e Fong-Torres são jornalistas reais, enquanto Penny Lane é, na verdade, a icônica Pennie Lane Trumbull.

A lista a seguir reúne 10 curiosidades sobre ‘Quase Famosos’, com base em diferentes fontes de pesquisa. Confira:

1) Quase Famosos quase teve outro título

Foto: divulgação

A ideia original de Cameron Crowe era chamar o filme de ‘Untitled’ (‘Intitulado’), em referência ao quarto álbum de estúdio do Led Zeppelin, de 1971, que não tem título, embora tenha ficado conhecido como ‘Led Zeppelin IV’. Aquele seria o quarto longa de Crowe e a temática roqueira o inspirou a ter esse pensamento.

Todavia, o estúdio DreamWorks recusou a ideia. Várias outras propostas surgiram, como ‘The Uncool’, ‘Vinyl Reality’, ‘What Music Can Do’, ‘I’m With The Band’, entre outros. “‘What Music Can Do’, isso é terrível. Soa como uma música recente dos Beach Boys”, comentou Jimmy Fallon à ‘Rolling Stone‘.

Em meio a tudo isso, surgiu a ideia de ‘Quase Famosos’, ou ‘Almost Famous’. “Eu ia a shows e via Mick Jagger, daí olhava para o lado e tinha aquelas pessoas próximas aos amplificadores. Eu ficava pensando: quem são essas pessoas? São groupies? Amigos do promotor de eventos? São casadas com o baixista? Pois são quase famosas”, revelou Cameron Crowe.

2) Elenco original

Foto: reprodução / Facebook

Alguns nomes escalados originalmente para o elenco de ‘Quase Famosos’ eram bem diferentes:

  • Brad Pitt faria Russell Hammond, o guitarrista do Stillwater;
  • Meryl Streep seria Elaine Miller, a mãe de William Miller;
  • Natalie Portman ou Sarah Polley como Penny Lane, a groupie principal;
  • Kate Hudson, que acabou fazendo Penny Lane, como Anita Miller, a irmã de William Miller;

“Eu fui à casa de Brad, lemos o roteiro juntos”, relembrou Cameron Crowe, à ‘Rolling Stone’. “Conversamos de algumas coisas nerds sobre música e tudo o mais. Ele estava lentamente assumindo a persona de Russel Hammond. Quatro meses depois, ele desistiu. Eu chorei (risos). Torturei meus amigos, perguntando o que diabos faria, mas eu sabia que ele não tinha curtido 100% o personagem”, completou.

As razões para Brad Pitt desistir do papel foram especuladas durante a entrevista: diferença de idade entre ele e a personagem Penny Lane, questões de orçamento ou mesmo a falta de envolvimento com o rockstar que retrataria.

3) A música

Foto: reprodução / YouTube

Não dava para fazer um filme sobre uma banda de rock sem boas músicas, não é? Cameron Crowe é o compositor de praticamente toda a trilha sonora inédita, tendo criado as músicas durante a lua de mel com sua então esposa, Nancy Wilson, guitarrista do Heart. Ele diz que sabia que acabaria usando aquelas canções para algum longa-metragem no futuro.

São, ao todo, cinco canções autorais. Três delas são assinadas por Cameron Crowe e Nancy Wilson, enquanto as outras duas foram concebidas por Peter Frampton, que também foi consultor técnico do filme. Já com relação às gravações, as guitarras ficaram a cargo de Nancy Wilson, que fez as bases, e Mike McCready, do Pearl Jam, responsável pelos solos. Sim, McCready é o cara por trás de Russell Hammond.

Os vocais foram feitos por Marti Frederiksen, que é conhecido por seu trabalho como produtor e, especialmente, compositor para várias bandas. Além da parceria de longa data com o Aerosmith, desde os anos 1990, Frederiksen já criou músicas para Mötley Crüe, Def Leppard, Mick Jagger, Ozzy Osbourne, Jonny Lang, Scorpions, Richie Sambora, Ace Frehley e Foreigner, além de nomes de outros estilos, como Sheryl Crow, Miley Cyrus (nos tempos de Hannah Montana), entre outros. Currículo de peso, ainda que não como cantor.

Além das músicas próprias, que embalavam os shows do Stillwater, a trilha sonora de ‘Quase Famosos’ tem clássicos de Led Zeppelin, The Who, David Bowie, Elton John, Allman Brothers Band, Rod Stewart, entre outros.

4) Papel para David Bowie

Foto: reprodução / Pinterest

Antes de contar a história de uma banda americana, o roteiro de ‘Quase Famosos’ retratava um rockstar britânico chamado Ricky Fedora, com inspiração em Peter Frampton. Penny Lane seria o amor da vida dele, mas em um papel menor que acabou tendo.

Nesse roteiro original, havia um personagem inspirado no assessor de relações públicas Russ Shaw, que seria interpretado por ninguém menos que David Bowie.

Porém, a ideia de fazer um filme inspirado em um rockstar britânico mudou em 1997, com a chegada do clássico ‘Austin Powers’. O conceito se tornou cômico demais.

“A parte triste dessa mudança foi que não tive papel para David Bowie. Quando o vi pela última vez, foi no evento de lançamento de ‘Quase Famosos’. Contei que toda a ideia começou a partir de um papel que eu fiz para ele. Então, ele comentou: ‘faça outro papel para mim’. Eu estava tentando quando ele morreu”, afirmou, mencionando o falecimento do Camaleão do Rock, em 2016.

5) Penny Lane e Bebe Buell

Foto: divulgação

Embora Pennie Lane Trumbull seja a principal inspiração da personagem Penny Lane, Bebe Buell, mãe de Liv Tyler que teve relacionamentos com Steven Tyler (pai de Liv) e Todd Rundgren, também influenciou o conceito. Alguns trejeitos e movimentos, como a forma de curtir shows, lembram bastante como era Bebe nos velhos tempos.

Além disso, há um discurso de Penny Lane na versão do roteiro que foi inspirado em declarações de Bebe Buell. “É sobre como ela foi a um show e quase foi esmagada, mas foi salva ao ser puxada para cima do palco. Deram a ela Coca-Cola e limão. Desde então, nunca mais voltou para casa”, contou Crowe, à ‘Rolling Stone’.

Kate Hudson comentou, em entrevista ao ‘The Morning Call‘, que pesquisou sobre várias groupies icônicas dos anos 70 para formar sua personagem. Entre os estudos, ela leu o livro ‘I’m With the Band’, de Pamela Des Barres, além de entrevistar várias garotas daquela época. “Você via tristeza nos olhos delas. Dava para notar o quanto elas haviam vivido e o quanto se cansaram daquele mundo, porém, ao mesmo tempo, sabiam no que estavam se metendo”, disse a atriz.

6) Referências

Foto: divulgação

‘Quase Famosos’ mistura referências a várias bandas com quem Cameron Crowe excursionou para a ‘Rolling Stone’. Cinco delas são citadas como as principais: Led Zeppelin, Eagles, Lynyrd Skynyrd, The Allman Brothers Band e Poco.

Russell Hammond, por exemplo, é inspirado em Glenn Frey, dos Eagles. Já Jeff Bebe, interpretado por Jason Lee, traz referências de Paul Rodgers, do Free e Bad Company.

Vale destacar que a cena em que o avião está prestes a cair parece ser inspirada no acidente real do Lynyrd Skynyrd, mas não foi. Na verdade, Crowe passou por experiência similar, mas sem o final trágico do Lynyrd, quando viajava com o The Who. Todavia, o problema na aeronave no longa ocorre próximo a Tupelo, Mississippi, região onde o voo do Skynyrd teve o problema que matou seis pessoas.

7) Jimmy Fallon expulso do voo

Foto: divulgação

Ainda sobre a cena do avião, Jimmy Fallon revelou, em entrevista à ‘Rolling Stone’, que precisou ser retirado das gravações e fazer sua passagem sozinho porque estava atrapalhando a todos. O motivo? Ele não conseguia parar de rir de tudo aquilo.

“Foi o mais perto que passei de ser dispensado, pois eu não parava de rir”, contou ele, que ficou muito amigo de Jason Lee durante as filmagens e os dois quase morreram de dar risada quando se olhavam. “Um fazia o outro rir até chorar. Em um ponto, eles me tiraram do avião e filmaram as cenas de todos. Eu tive que gravar a minha separadamente”, comentou.

8) Fiasco em bilheteria

Foto: divulgação

Embora tenha se tornado um clássico, ‘Quase Famosos’ foi um fiasco em termos de bilheteria. Em sua primeira semana de lançamento, arrecadou US$ 2,3 milhões a partir de 131 cinemas. Todavia, na segunda semana, obteve menos de US$ 7 milhões mesmo chegando a mais de mil salas.

Ao todo, nos Estados Unidos, ‘Quase Famosos’ arrecadou US$ 32,5 milhões em bilheteria. Internacionalmente, foram US$ 14,8 milhões. O valor, somado, chega a pouco mais de US$ 47 milhões, o que não pagou nem mesmo os custos de US$ 60 milhões da produção.

Cameron Crowe tem um culpado: o relançamento de ‘O Exorcista’, clássico lançado em de 1973. Curiosamente, o mesmo ano em que ‘Quase Famosos’ se passa. “Nosso filme de 1973 foi detonado por um filme de 1973”, brincou, em entrevista à ‘Entertainment Weekly‘.

Apesar disso, a produção de Crowe se consagrou com suas versões domésticas, além das exibições regulares na TV fechada. “Os filmes que duram são aqueles que tocam as pessoas. É disso que elas vão se lembrar com o tempo. A vida desse filme não tem a ver com arrecadação em bilheteria”, comentou, à ‘Rolling Stone’.

9) Inocente de propósito

Foto: divulgação

Na época em que foi lançado, ‘Quase Famosos’ decepcionou um pouco os críticos por não trazer cenas mais claras de sexo e uso de drogas. Em entrevista à ‘Paste‘, Cameron Crowe disse que tal abordagem foi intencional.

“Os caras que mais curtiram ‘Quase Famosos’ foram os astros do rock. Eles comentaram: ‘sim, sexo e drogas fazem parte do rock, mas um músico de verdade nunca pega uma guitarra só porque quer sexo e drogas’. Geralmente, é porque você pirou com um disco e não consegue mais ser como era antes. ‘Quase Famosos’ é sobre isso: perder a cabeça com música”, declarou, na ocasião.

Em outra ocasião, ao ‘Film Comment‘, o cineasta destacou: “Alguém entrevistou Mick Ronson, guitarrista de David Bowie, pouco antes dele morrer e perguntou como era estar no marco zero da decadência do rock. Ele respondeu: ‘era um período amável e ingênuo’. Achei profundo. O conceito do rock enquanto algo para as massas ainda não existia, então, era uma abordagem pessoal e, sim, passional e inocente”, comentou.

10) Mãe e irmã de Cameron Crowe reconciliadas

Foto: reprodução / YouTube

Uma das cenas finais de ‘Quase Famosos’ traz as personagens Elaine e Anita, respectivamente mãe e irmã de William, se reconciliando após tempos de afastamento. O mais curioso é que isso aconteceu de verdade na família de Cameron Crowe após o filme.

“Minha mãe e minha irmã não se falavam desde 1989. Quando meu pai morreu, a química da família se ferrou toda. Em meus sonhos mais loucos, esperava que o filme ajudasse as duas a se falarem de novo. Elas conversam através de mim agora, mas três semanas atrás, nossa família se reuniu. A cena falsa do filme, que é a reconciliação, acabou acontecendo de sua forma estranha”, revelou Crowe, em 2000, à ‘Rolling Stone‘.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *