Notícias

Rock precisa ser ditado por jovens para voltar ao sucesso, diz Tobias Forge



O vocalista Tobias Forge, do Ghost, falou em entrevista à Banger TV, com transcrição do Blabbermouth, sobre o atual momento vivenciado por sua banda e pelo rock como um todo. O cantor revelou acreditar que o estilo musical, como um todo, terá uma nova onda de popularidade em breve – e que seu grupo terá fama o bastante para estar na próxima geração de atrações principais de festivais.

A conversa teve início após Tobias Forge ter sido perguntado se o Ghost pode se tornar uma das atrações principais de grandes festivais no futuro após nomes como Metallica, Kiss e Ozzy Osbourne se aposentarem. “Acho que podemos ser uma banda para o futuro”, respondeu o vocalista. “Precisam ser várias (bandas). Agora, obviamente, o mainstream é dominado pelo hip hop – e não era há 10 anos, nem será daqui 10 anos. Tudo vem e vai. Haverá uma nova onda de rock”, completou.

Para Forge, os artistas de hip hop se adaptaram mais rapidamente ao streaming, o que os deixou em evidência no momento. “Uma das diferenças entre o rock e o hip hop, em crescimento, é que temos artistas de hip hop surgidos há dois, três anos e que são gigantes agora. A curva, a trajetória é semelhante à do rock. Veja o Iron Maiden. Eles excursionaram muito, claro, mas a jornada do primeiro show na América até chegar ao Madison Square Garden foi de apenas alguns anos. O ‘Powerslave’ (1984), aquela turnê gigante pela América, foi apenas alguns anos após o início da carreira”, afirmou.

– O boicote que o Iron Maiden sofreu por “The Number Of The Beast”

O cantor apontou que há uma diferença de perspectiva nos dias de hoje, pois dizem que o Ghost é uma banda nova, mais o álbum de estreia, “Opus Eponymous”, é de 2010. “Sei que no rock, oito anos não são nada. Somos totalmente novatos. Mas ainda são oito anos. No mundo do Metallica, o primeiro disco saiu em 1983. Oito anos depois, nós temos o ‘Black Album’. É diferente. No passado, o rock era ditado por adolescentes e jovens adultos. É algo inevitável. No futuro, o rock precisa ser ditado por pessoas que não têm 20 anos agora. Há algumas coisas que ainda quero alcançar e que pode ser de interesse para os fãs de rock. Adoraria fazer parte disso no futuro, mas não poderei ser a banda dos garotos de 20 anos”, disse.

Atualmente, o Ghost vive o melhor momento de sua carreira em termos de popularidade. O álbum mais recente, “Prequelle“, estreou em 3° lugar nas paradas da Billboard, nos Estados Unidos, e rendeu duas indicações ao Grammy 2019, nas categorias de Melhor Álbum de Rock e Melhor Música de Rock (por “Rats”). Já a turnê que promove o disco é a primeira da banda como atração principal em arenas dos Estados Unidos.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *