A melhor música e o melhor álbum do Mercyful Fate, segundo Hank Shermann

Trabalho de estreia colocou a banda dinamarquesa sob os holofotes por sua sonoridade atípica para a época

Quando o Mercyful Fate surgiu, foi demonstrada uma nova possibilidade sonora dentro do heavy metal. A banda dinamarquesa misturava elementos dramáticos e épicos de uma forma totalmente própria, a ponto de até hoje se discutir qual a classificação mais adequada para a sua proposta.

Hank Shermann não apenas tem noção disso como elege justamente a estreia como sendo seu momento preferido na discografia da banda. Para o instrumentista, “Melissa” (1983) se sobressai em relação a todos os outros lançamentos.

- Advertisement -

Disse o guitarrista, em entrevista ao site IgorMiranda.com.br:

“Acho que é realmente um álbum fantástico. São apenas sete músicas e todas se tornaram clássicos.”

A música preferida de Hank Shermann

Entre essas músicas está aquela que o guitarrista considera a definitiva do Mercyful Fate. Ele disse:

Leia também:  A curiosa única sequela deixada em Dinho Ouro Preto por queda de palco em 2009

‘Black Funeral’, por sua simplicidade. Tem um ritmo legal. É melódica, mas também tem alguns acordes meio malignos no meio. É uma música curta, menos de três minutos. Então eu diria que ‘Black Funeral’ também é uma das minhas favoritas para tocar ao vivo. Acho que é a canção marca registrada do Mercyful Fate.”

Ainda assim, para Shermann, há uma música que se destaca, não de uma maneira boa:

“Acho que ‘At the Sound of the Demon Bell’ está um pouco aquém das outras.”

Mercyful Fate e “Melissa”

Lançado em 30 de novembro de 1983, “Melissa” contava com composições das bandas anteriores dos integrantes do grupo. A repercussão na Europa fez com que o grupo tocasse em vários festivais e tivesse, meses mais tarde, o play disponibilizado nos Estados Unidos.

Leia também:  A reação de Andreas Kisser a críticas por tocar com Ivete Sangalo

Como curiosidade, o Metallica incluiu quatro faixas do disco em um medley para o álbum “Garage Inc.” (1998): “Satan’s Fall”, “Curse of the Pharaohs”, “Into the Coven” e “Evil”. Abertura do EP que leva o nome do Mercyful Fate, “A Corpse Without Soul” também fez parte do registro.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA melhor música e o melhor álbum do Mercyful Fate, segundo Hank...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades