Por que Kerry King não chamou Gary Holt para tocar em seu álbum solo

Guitarrista tomou cuidado na escalação de sua banda para que não ficasse conhecida como um “Slayer de segunda mão”

Ainda antes do Slayer anunciar seu retorno às atividades, Kerry King montou uma banda solo para gravar seu primeiro álbum sem o grupo que o consagrou. “From Hell I Rise”, primeiro álbum do projeto, sai nesta sexta-feira (17).

O guitarrista recrutou um parceiro das antigas, o baterista Paul Bostaph, que ocupou a vaga de Dave Lombardo na banda original por três vezes — e está envolvido na atual reunião. Contudo, o guitarrista Gary Holt (Exodus), que substituiu Jeff Hanneman entre 2011 e 2019, não se envolveu. Agora sabemos o porquê.

- Advertisement -

King foi perguntado sobre a ausência de Holt em sua banda solo em entrevista para a Revolver (via Guitar.com). Em sua justificativa, o músico explicou que não desejava montar um grupo que ficasse conhecido como um “Slayer de segunda mão” por contar com muitos integrantes do quarteto do Big 4.

O guitarrista explicou:

“Comecei a perceber que quanto mais pedaços do Slayer eu juntasse, mais seria chamado de ‘Slayer Lite’. Quero dizer, é claro que vai soar como Slayer, eu compus 90% do último disco. Mas se eu levasse menos do Slayer comigo, haveria menos gente no caminho para fazer comparações preguiçosas.”

Ao mesmo tempo, King não deixou de render elogios a Holt. O também integrante do Exodus ajudou a manter o Slayer em funcionamento desde que Hanneman passou a sofrer com problemas de saúde — que tiraram sua vida em 2013.

Leia também:  As atrações funk no único dia rock do Rock in Rio 2024

“Se eu tivesse que fazer o Slayer de novo depois de Hanneman, eu escolheria Gary Holt 110 vezes em 100. Ele era o cara certo. Mas a percepção das pessoas, isso pesa para mim, e não quero ter que lidar com isso.”

Tanto é verdade que Gary estará de volta com o Slayer nos festivais americanos nos quais o grupo tocará no meio do ano. Holt, King e Bostaph se juntam ao vocalista e baixista Tom Araya para apresentações no Riot Fest, Louder Than Life e Aftershock, entre setembro e outubro.

O mesmo Paul Bostaph foi a “parte do Slayer” escolhida por Kerry King para sua banda solo. A formação se completa com o vocalista Mark Osegueda (Death Angel), o guitarrista Phil Demmel (Vio-Lence, Machine Head) e o baixista Kyle Sanders (Hellyeah).

Leia também:  A maior lição que Jon Bon Jovi aprendeu com os Rolling Stones

Kerry King solo

Nesta sexta-feira (17), Kerry King lança seu primeiro álbum solo, “From Hell I Rise”. Por enquanto, o projeto do guitarrista está escalado para uma série de festivais na América do Norte, além da turnê “Ashes of Leviathan”, que reúne Lamb of God e Mastodon como coheadliners. O giro acontece entre os meses de julho e agosto.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasPor que Kerry King não chamou Gary Holt para tocar em seu...
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Interessado em música desde a infância, teve um blog sobre discos de hard rock/metal antes da graduação e é considerado o melhor baixista do prédio onde mora. Tem passagens por Ei Nerd e Estadão.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades