Vereadores de SP aprovam incorporar nome de Rita Lee ao Parque Ibirapuera

Projeto foi proposto em maio de 2023 e ainda passará por mais dois processos antes de entrar em vigor; cantora tinha relação próxima com o local

O nome de Rita Lee pode ser incorporado ao Parque Ibirapuera, na capital paulista. Na última quarta-feira (10), a Câmara de São Paulo aprovou o projeto que propõe a homenagem.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, para de fato sair do papel e entrar em vigor, a iniciativa precisa agora passar por uma votação no Legislativo. Por último, deverá receber a sanção do prefeito Ricardo Nunes (MDB). 

- Advertisement -

João Lee, filho da artista, gostou da ideia. Por meio das redes sociais, compartilhou a notícia e escreveu

“Ela vai ficar tão feliz.”

Em maio do ano passado, Luna Zarattini (PT) formalizou a proposta. Para defendê-la, a vereadora explicou que a cantora mencionou o parque em músicas como “Vírus do Amor” e “Minas de Sampa” e também abordou sua relação próxima com o local em sua primeira autobiografia. Ainda, utilizou o cenário como a capa de “Entradas e Bandeiras” (1976), seu quinto álbum solo e terceiro com a banda Tutti Frutti.

Ela declarou:

“Rita Lee e o parque Ibirapuera são dois grandes símbolos da cidade de São Paulo e estão no imaginário de milhares de paulistanos e paulistanas quando pensamos na nossa cidade. Rita Lee era visita frequente no parque e já declarou publicamente seu afeto pelo Ibirapuera. Rita uma vez disse que ao morrer poderia ter seu nome entregue a uma rua ou praça. Nada mais digno que seu nome esteja presente no Parque Ibirapuera. Um patrimônio dá nome a outro.”

Rita Lee e Parque Ibirapuera

Rita Lee morreu no dia 8 de maio do ano passado, aos 75 anos. O velório da cantora, que foi aberto ao público, aconteceu no Planetário do Parque Ibirapuera.

O lugar foi escolhido devido à história de Rita. No capítulo “Mutatis Mutandis” de sua primeira autobiografia, lançada em 2016, ela contou que, em determinada época, visitava o local semanalmente.

“O planetário do Ibirapuera era o must semanal, e depois da sessão, uma banana-split na lanchonete ao lado.”

Já no capítulo “Floresta Encantada”, da mesma obra, a artista revelou que seus antigos piqueniques costumavam ter como cenário o Ibirapuera:

“Antes de virar parque, a floresta do Ibirapuera era o lugar perfeito para os piqueniques dos Jones, domingo sim, domingo não. Socadas no Jeep com Charles pilotando, as seis mulheres equilibravam cestas de comidas e ferramentas de jardinagem. Estacionávamos em frente ao Instituto Biológico e de lá seguíamos a pé dois quarteirões até a entrada da floresta.”

João Lee também já confirmou o amor da saudosa mãe pelo parque. Em declaração concedida sobre o velório, publicada também pela Folha de S. Paulo, o DJ e produtor disse:

“Ela morava na Vila Mariana, perto do Ibirapuera. Vinha com os pais aqui. Para você ter uma ideia, a irmã dela, minha tia, faz o aniversário todo ano aqui com um piquenique. A família sempre teve uma ligação muito grande com a natureza e com esse espaço aqui. Todo mundo se identifica com o Ibirapuera. Ele é democrático. Então é importante o velório ser aqui.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

Leia também:  Gustavo Mullem, ex-guitarrista do Camisa de Vênus, morre aos 72 anos
ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasVereadores de SP aprovam incorporar nome de Rita Lee ao Parque Ibirapuera
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades