A curiosa sensação de Josh Freese ao entrar para o Foo Fighters

Mesmo tendo tocado nos shows de tributo a Taylor Hawkins, baterista não tinha nenhuma expectativa de ser chamado para a vaga

Em maio de 2023, Josh Freese foi oficializado como responsável para ocupar a vaga do falecido Taylor Hawkins no Foo Fighters. De currículo longo, o baterista aceitou o desafio e se encaixou bem sob a liderança de Dave Grohl. Agora ele revelou como se sentiu ao receber um convite que não esperava, especialmente diante das circunstâncias trágicas que envolveram seu novo emprego.

Em conversa com o youtuber Rick Beato (via Blabbermouth), Freese contou como foi estava a situação após os shows tributo a Hawkins, nos quais ele, junto de vários outros bateristas, tocou com a banda. Não havia tantas expectativas, mas o músico revelou que, de alguma maneira, as pessoas ao seu redor já esperavam que ele fosse chamado.

- Advertisement -

Ele disse:

“Juro pelos meus filhos, eu tinha zero planos de ser chamado para ser o baterista. E todo mundo, e a mãe deles – meu vizinho passeando com o cachorro: ‘ei Josh, o Foo Fighters já te chamou?’. Outras pessoas me dizendo, outros bateristas, fóruns do Reddit: ‘Josh Freese vai ser o cara’. E eu dizia: ‘eu nem sei se a banda vai continuar’. A maioria das pessoas que eu conhecia dizia: ‘oh, eles vão ter que continuar, eles vão encontrar um jeito’.”

Sem pressão em Josh Freese

O baterista afirma que não colocou nenhuma pressão em Dave Grohl e nunca tocou no assunto de estar interessado na vaga, respeitando o luto por Taylor Hawkins. Os shows tributo aconteceram em setembro de 2022 e mais tarde, perto do Natal, aconteceu a tal ligação com o convite.

Leia também:  Como o Summer Breeze Brasil buscou consolidação em seu 2º ano

Freese relembra:

“Meses se passaram depois do segundo show tributo, em L.A. Acho que foi em setembro. E Dave disse que tinha criado um monte de músicas. Que ele ia gravar um monte de coisa depois dos shows. Então, legal. Parecia que ele ia fazer um disco. Acho que foi logo antes do Natal daquele ano, 2022, e eu recebi uma ligação dele. E eu perdi a ligação. Estava caminhando com minha esposa e alguns dos cachorros e eu disse: ‘ah, Dave tentou me ligar há 20 minutos’. E ela disse: ‘eu sei por que ele está te ligando’. Eu fiquei tipo: ‘calma, não estou pensando nisso’. Juro por Deus que não estava pensando. Eu disse: ‘Quer saber? Ele deve estar fazendo uma festa de Ano Novo. Ele deve estar fazendo um projeto onde vai ter todos esses nossos amigos bateristas tocando, cada um em uma faixa. Ele pode estar me ligando por vários motivos, mas não vou fingir que é por isso’.

Liguei para ele de volta e falamos sobre o Natal, nossos filhos, e se eles ainda acreditam em Papai Noel, para quem é mais difícil comprar presentes, e todas essas coisas bobas de família. Eu disse: ‘ei, você já gravou?’ e ele: ‘Sim, gravamos um monte de coisas. E eu toquei bateria, estou muito feliz por como está soando. Estou realmente animado com isso’. Falamos sobre coisas de bateristas. Aí ele: ‘E queremos que você seja o cara’. E eu senti como se alguém tivesse me socado no estômago. Não fiquei: ‘Uau, yippee, isso é tão legal’. Não fiquei animado assim. Foi quase como se tivessem tirado meu ar. Eu fiquei tipo ‘oh, meu Deus. Lá vamos nós’.”

As novas músicas gravadas por Grohl se tornaram o álbum “But Here We Are” (2023). Freese não participa do material, mas passou a integrar a banda nos compromissos de turnê. Dois shows foram realizados no Brasil, no festival The Town, em São Paulo, e em Curitiba, no último mês de setembro.

Leia também:  “Descobridor” do Guns N’ Roses revela sua curiosa 1ª reação a Axl Rose

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA curiosa sensação de Josh Freese ao entrar para o Foo Fighters
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Interessado em música desde a infância, teve um blog sobre discos de hard rock/metal antes da graduação e é considerado o melhor baixista do prédio onde mora. Tem passagens por Ei Nerd e Estadão.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades