Como Slash chamou Brian Johnson para seu novo álbum de blues

Vocalista do AC/DC registrou os vocais no primeiro single, que também conta com Steven Tyler (Aerosmith) na gaita

Na última semana, Slash divulgou o primeiro single de “Orgy of the Damned”, seu próximo disco solo. A versão para “Killing Floor”, de Howlin’ Wolf, conta com Brian Johnson (AC/DC) nos vocais, além de uma participação de Steven Tyler (Aerosmith) registrando a gaita.

A música antecipa o formato do álbum como um todo, trazendo versões para clássicos do blues contando com diferentes vocalistas em cada faixa. A escolhida para abrir os trabalhos contou com um sentimento especial, pela presença de dois ícones do hard rock.

- Advertisement -

Disse o protagonista ao Audacy Check In, conforme transcrição do Blabbermouth, quando questionado sobre a motivação que o levou a gravar no formato:

“Quando era criança, fiquei entusiasmado com o blues. Mas então, como guitarrista, acabei fisgado por Jimi Hendrix, Jimmy Page, Jeff Beck, Eric Clapton e todos aqueles caras do Reino Unido. Rapidamente descobri que seus estilos particulares estavam todos enraizados naquela música que eu cresci ouvindo anteriormente. Então foi um ciclo completo para mim.

Mas quando você ouve as faixas originais, vê que esses grandes guitarristas e também cantores surgiram de uma espécie de explosão inglesa, ou britânica, como chamamos… e eles são fenomenais, mas quando escutamos as versões originais, cara, é um negócio sério. A sensação, o tipo natural de cadência e apenas a entrega dessas músicas desses artistas originais é algo que realmente não dá para igualar. Até mesmo alguns dos melhores caras do blues por aí mal conseguem arranhar a superfície de quão boas eram algumas delas.”

Brian Johnson e Steven Tyler

Em relação às participações dos amigos e ídolos, Slash começou falando sobre Brian, que está retomando a carreira com o AC/DC após ter enfrentado problemas de audição em anos recentes – tendo até mesmo sido substituído temporariamente por Axl Rose, colega do guitarrista no Guns N’ Roses.

Leia também:  Como pandemia conduziu volta de Mike Portnoy ao Dream Theater

“Eu tinha a música e estava tentando pensar em quem seria ótimo para fazê-la, até que Brian me veio à mente. Nos conhecemos há muito tempo, ele simplesmente tem esse tipo de registro incrível em sua voz. Conversamos e descobri que ele é um grande fã do Howlin’ Wolf. Esteve em bandas cover antes do AC/DC e até mesmo antes do Geordie, seu grupo anterior. Ainda me contou que está montando uma espécie de orquestra de blues, mas não me cite como fonte. Porém, é algo nesse sentido. De qualquer forma, ele estava animado para fazer aquela música em particular. A resposta foi apenas um: ‘oh, ótimo, sim, vamos fazer isso’.”

Ao contrário do que alguns podem imaginar, a gravação não ocorreu com as duas lendas convidadas juntas em estúdio.

“E então Steven Tyler entrou na jogada. Ele veio ao meu estúdio depois que Brian já tinha feito o vocal. Não lembro exatamente se já veio para tocar a gaita ou simplesmente carregava uma gaita, mas mostrei a faixa. Ele gostou e registro sua parte de forma muito espontânea. Foi meio que inspirado no momento, o que é ótimo poder capturar, especialmente hoje em dia porque as pessoas, em geral, não fazem mais discos assim. Tudo é muito bem pensado, cultivado, homogeneizado e produzido. No nosso caso foi muito, muito improvisado.”

“Killing Floor” e o Led Zeppelin

Original de 1964, “Killing Floor” foi escrita e gravada por Howlin’ Wolf, tendo produção de Leonard Chess, Phil Chess e Willie Dixon. Com o passar dos anos, foi tocada ao vivo e regravada por uma série de músicos ligados ao blues e ao rock, incluindo Jimi Hendrix e Cream.

Leia também:  Joey Ramone morreu há 23 anos; veja outros fatos da música em 15 de abril

Porém, sua associação mais famosa se dá com o Led Zeppelin. A banda costumava tocá-la em shows nos dois primeiros anos de carreira. Quando chegou a hora de gravar o terceiro disco, o grupo se valeu do arranjo para criar “The Lemon Song”. Wolf foi creditado como compositor.

Slash e “Orgy of the Damned”

“Orgy of the Damned” sai dia 17 de maio, via Gibson Records. A produção é assinada por Mike Clink, o mesmo responsável por discos clássicos do Guns N’ Roses, como “Appetite for Destruction” e “Use Your Illusion”.

Diferentemente de outros trabalhos recentes, Slash não gravou com o vocalista Myles Kennedy e sua banda de apoio, The Conspirators. Em vez disso, retomou o formato de seu disco solo de 2010, homônimo, que contou com vários convidados.

Eis o tracklist e os cantores de cada faixa:

  1. The Pusher (feat. Chris Robinson)
  2. Crossroads (feat. Gary Clark Jr.)
  3. Hoochie Coochie Man (feat. Billy Gibbons)
  4. Oh Well (feat. Chris Stapleton)
  5. Key To The Highway (feat. Dorothy)
  6. Awful Dream (feat. Iggy Pop)
  7. Born Under A Bad Sign (feat. Paul Rodgers)
  8. Papa Was A Rolling Stone (feat. Demi Lovato)
  9. Killing Floor (feat. Brian Johnson)
  10. Living For The City (feat. Tash Neal)
  11. Stormy Day (feat. Beth Hart)
  12. Metal Chestnut

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasComo Slash chamou Brian Johnson para seu novo álbum de blues
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades