Por que Kate Bush evitou ao máximo ser vista como sex symbol

Artigos de revistas nos anos 1970 e 80 tentaram promover a carreira da cantora através de seus atributos físicos ao invés do talento ímpar

Ainda hoje é difícil vermos uma artista não ser julgada por sua obra tendo como pano de fundo os atributos físicos. A situação era ainda mais explícita em outras décadas. Kate Bush é um exemplo. Quando despontou com talento ímpar no mundo da música, a cantora precisou passar por vários escrutínios machistas por parte da imprensa.

Em um perfil da revista Kerrang! em 1984, o jornalista Mick Wall entendeu que seria melhor apresentar Kate ao público através de uma descrição de mais de 400 palavras do sonho que teve com ela antes de entrevistá-la. Comportamento completamente de acordo com a época, infelizmente – e no qual muitos de nós caímos.

- Advertisement -

“A sexy Kate canta como um anjo” foi a manchete do Evening News quando o single de estreia da cantora então com 19 anos, “Wuthering Heights”, entrou no Top 20 do Reino Unido em fevereiro de 1978. Conforme resgate do Louder, o jornalista John Blake publicou:

“Estou convencido de que ela é a cantora feminina mais importante que surgiu na Grã-Bretanha em pelo menos dez anos. Também é linda e muito sexy – com enormes olhos castanhos e longos cabelos ruivos emaranhados.”

Kate Bush contra a armadilha

Não à toa, Kate BUsh se tornou tão reclusa, raramente concedendo entrevistas. Mas a própria fez questão de responder às insinuações.

“Não vou cair na armadilha de ser um objeto sexual. Acho que muitas mulheres são condicionadas a querer ter essa aparência quando são jovens. Mas é muito perigoso ser totalmente sexual porque imediatamente você é rotulada como outra coisa em vez de artista.”

“Ela tem QUANTOS anos?”

Apesar da reação, nada impediu que no mesmo ano a revista Sounds descrevesse a seus leitores:

Leia também:  Led Zeppelin era melhor em estúdio ou ao vivo? John Paul Jones comenta

“Ela é, de fato, uma mulher linda. Marfim esculpido, sem nenhum corte. Embora não queira despertar essa reação, ela não fica perturbada. Afinal, é um elogio.”

Outras manchetes indicavam direcionamento similar. “Bush é uma gatinha sexual”, declarou um deles. “A florescente srta. Bush” era o título de outro.

Disse um jornalista do Sunday Express, em um artigo intitulado “Ela tem QUANTOS anos?”:

“Quando você esclarece o fato de que ela é linda e jovem, seu incrível canto e composição em seu álbum de estreia, ‘The Kick Inside’, pode envolvê-lo e levá-lo a uma jornada musical.”

A resposta de Kate Bush

Em 1979, Kate pôde contra-argumentar em uma entrevista de áudio resgatada de arquivo pelo site Rock’s Backpages. O crítico musical Ian Ravendale perguntou:

“Quase odeio perguntar isso a você, porque é a pergunta padrão, mas você acha que foi promovida até certo ponto como objeto sexual?”

Sem meias palavras, ela disse:

“Isso é o que todo mundo diz, e não é uma questão de eu ser promovida como objeto sexual; é uma questão de como eu realmente me projeto. E as pessoas diriam isso de qualquer maneira, quer eu estivesse vestida com uma fantasia de freira ou sem nada. E contanto que eu seja apreciada como artista, tudo bem.”

Ravendale continua dizendo:

Leia também:  O artista que inspirou George Harrison a virar músico: “posso ser melhor que ele”

“Porque o sexo desempenha um papel em algumas de suas músicas. Seu single atual, ‘Wow’, é sobre um orgasmo?”

Kate ficou surpresa. E esclareceu a temática.

“Sobre um orgasmo? Bem, poderia ser, suponho, mas certamente não vale a pena falar sobre isso. É sobre o showbusiness, na verdade.”

Símbolo sexual?

Outro exemplo ocorreu em 1981, após Kate Bush ter liderado a categoria “Símbolo Sexual Feminino” na pesquisa dos leitores do Record Mirror. A cantor, então, foi perguntada por Chas de Whalley sobre seus sentimentos em relação ao assunto.

Na resposta, segundo o jornalista, ela parecia um pouco confusa com tudo isso. E disse:

“Bem, é gratificante, suponho. Mas isso me faz rir, de verdade. O que significa ser um símbolo sexual? Significa que as pessoas me acham atraente, não é? É um gesto de carinho, suponho, e claro que estou muito grata. Mas não realmente penso em mim assim.”

Kate Bush atualmente

Em 2024, Kate Bush completa uma década afastada dos palcos. Suas últimas apresentações até o momento foram 22 datas no Hammersmith Odeon, casa de espetáculos de Londres, Inglaterra. Elas foram realizadas entre 26 de agosto e 1º de outubro de 2014.

Ano passado, ela foi introduzida ao Rock and Roll Hall of Fame. Mantendo a tradicional discrição, não compareceu à cerimônia, que aconteceu em Nova York, Estados Unidos, no dia 3 de novembro.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesPor que Kate Bush evitou ao máximo ser vista como sex symbol
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades