Veja Dave Grohl cantar “Live and Let Die”, do Wings, em show beneficente

Ídolo já foi homenageado pelo líder do Foo Fighters em várias oportunidades, além da realização de algumas parcerias especiais

No último dia 7 de março aconteceu mais uma edição do Love Rocks NYC. O evento beneficente anual beneficia a God’s Love We Deliver, entidade que oferece terapia nutricional e refeições sob medida para pessoas carentes que vivem com doenças graves na região metropolitana de Nova York, Estados Unidos.

Entre os vários nomes presentes, Dave Grohl foi o último anunciado e mais aguardado da noite. O líder do Foo Fighters presenteou quem compareceu ao icônico Beacon Theatre com uma versão para “Live and Let Die”, clássico do Wings.

- Advertisement -

A performance é mais uma homenagem do multi-instrumentista e cantor a seu ídolo e amigo Paul McCartney. Nas últimas décadas, os artistas formaram uma dobradinha esporádica eficiente, incluindo o momento em que o astro de Liverpool assumiu a frente do Nirvana de forma extraoficial, registrando a música “Cut Me Some Slack” com os remanescentes da última formação da banda.

O momento pode ser conferido no player abaixo em filmagem amadora.

Outros participantes do Love Rocks NYC 2024

Além do cover de McCartney, Dave Grohl ainda apresentou a própria “Everlong”, um dos maiores hits do Foo Fighters, presente no álbum “The Colour and the Shape” (1997).

Leia também:  Como o filme “The Wall”, do Pink Floyd, influenciou Christopher Nolan

A noite também contou com apresentações de Joss Stone, Tom Morello, Nile Rodgers, The Black Keys, Hozier, Allison Russell e Bettye Lavette. Conan O’Brien, Tracy Morgan e Jim Gaffigan se encarregaram da função de mestres de cerimônia.

Sobre “Live and Let Die”

Lançada em 1973 para a trilha do filme de mesmo nome – pertencente à franquia James Bond (007) –, “Live and Let Die” se tornou uma das músicas mais populares do Wings. A faixa chegou ao segundo lugar na Billboard Hot 100, principal parada de singles dos Estados Unidos, permanecendo no chart por 14 semanas.

A composição também é creditada a Linda McCartney, além de ter marcado a reunião de Paul com o produtor George Martin, uma das várias figuras conhecidas como “o quinto Beatles”. Foi a primeira música ligada ao rock a abrir uma película estrelada pelo agente fictício.

Leia também:  Linda McCartney morreu há 26 anos; veja outros fatos da música em 17 de abril

A versão do Guns N’ Roses

Quase 20 anos depois, em 1991, o Guns N’ Roses registrou uma versão que entrou no álbum “Use Your Illusion I”. Apesar de não ter feito o mesmo sucesso da original, repercutiu o suficiente para fazer parte do setlist de shows da banda até os dias atuais.

Em depoimento ao podcast A Life in Lyrics, projeto derivado do livro “Paul McCartney – As Letras”, Paul revelou que a homenagem de Axl Rose e companhia deixou os filhos em apuros.

“Meus filhos iam para a escola e diziam: ‘Meu pai escreveu isso’. Seus colegas de classe respondiam: ‘Não, ele não escreveu, foi o Guns N’ Roses’. Ninguém acreditava neles. Por um tempo, a música foi apenas do Guns N’ Roses.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasVeja Dave Grohl cantar “Live and Let Die”, do Wings, em show...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades