Andreas Kisser está aberto a chamar ex-integrantes do Sepultura para show final

Guitarrista diz que ainda não há planos, mas que "seria legal" ter todos juntos na última apresentação, que deve ocorrer em setembro de 2025

O Sepultura inicia nesta sexta-feira (1º) sua turnê de despedida “Celebrating Life Through Death”. O giro já tem datas marcadas na América Latina e na Europa e deve durar cerca de 18 meses – ou seja, até setembro de 2025. Para o último show, Andreas Kisser está disposto a chamar os ex-integrantes da banda. 

Durante recente entrevista ao canal Rockast, transcrita pelo Whiplash e publicada antes da saída do baterista Eloy Casagrande vir a público, o guitarrista comentou a possibilidade. Segundo o músico, “seria legal” ter todo mundo no palco, mas não há nada concreto até o momento.

- Advertisement -

Além dos irmãos Max e Iggor Cavalera, figuras como o guitarrista Jairo Guedz e o baterista Jean Dolabella integraram a banda no passado. A ideia seria que, caso viável, eles participassem da apresentação final, provavelmente na capital paulista, como explicou: 

“Sepultura é o que a gente faz hoje, com respeito, com atitude, com motivação pra fazer as coisas. Não sei, cara, isso é uma coisa a se pensar. Seria legal num último show chamar todo mundo, né? Mas é uma coisa que talvez a gente trabalhe. Não é um processo agora, a gente tá muito no começo, né? Acho que seria até óbvio, né? Motörhead fez isso, Yes fez isso, várias bandas fizeram isso. Então, é uma possibilidade, estando todo mundo vivo, obviamente, né? Mas não é uma coisa que a gente tá trabalhando agora. Acho que para o derradeiro e último show que a gente quer fazer em São Paulo, seria interessante ter todo mundo. Mas é uma coisa a se pensar.”

Em seguida, Andreas destacou que o maior intuito das performances é celebrar o legado do grupo e não gerar qualquer conflito. Ainda assim, mais uma vez, não descarta a reunião.

“Não é também por isso que a gente vai fazer o último show. Eu acho que eu quero celebrar, não quero criar tensão, criar situações de ego num lugar onde não precisa. Eu acho que a intenção é celebrar, abraçar um o outro e agradecer (…) cada um fez parte um da vida do outro (…). Mas, vamos ver. A gente vai começar agora em BH, não vejo a gora de subir no palco e começar essa saga.”

Leia também:  Remake do filme “Possessão” terá Robert Pattinson como produtor

Portas abertas

Durante a coletiva de anúncio oficial da despedida, realizada em dezembro, o guitarrista deu uma resposta parecida. Ele mencionou, ainda, a vontade de tocar ao lado de bandas parceiras, tanto nacionais quanto internacionais.

“As portas estão sempre abertas. Convidamos os irmãos Cavalera para fazer parte do documentário (‘Sepultura Endurance’) e eles não aceitaram. A ideia é celebrar o presente. Mas as possibilidades estão sempre abertas, a gente nunca fechou qualquer porta em nenhum sentido. Acho que seria muito interessante ter a participação de todos. Não é só para quem fez parte do Sepultura. Bandas amigas também, para que façamos uma grande festa, sejam as nacionais ou as internacionais, para algo memorável.”

Propostas anteriores

No mesmo bate-papo, Andreas Kisser revelou que o Sepultura já recebeu algumas propostas de grandes eventos para reunir a formação clássica. Ao longo dos anos, vieram convites do Ozzfest, festival itinerante de Ozzy Osbourne, como também do Knotfest, idealizado pelo Slipknot. 

Contudo, a banda optou por recusar as ofertas, já que entenderam que não era o momento certo: 

“Já recebemos propostas de alguns festivais como Ozzfest, como o próprio Knotfest, entre outros, para fazer [a reunião]. Mas nunca foi adiante, porque a nossa intenção nunca foi essa, de fazer por dinheiro ou por outra coisa que seja.”

À Folha de S. Paulo, em 2003, o guitarrista havia comentado a respeito do Ozzfest. Na ocasião, disse que o convite surgiu de Sharon Osbourne, empresária e esposa do Madman. Apesar do bom retorno financeiro que isso traria, decidiram não aceitar – o que ele vê como a melhor escolha.

“Se a gente tivesse feito aquilo, teríamos gastado a grana, o Derrick teria saído, o que seria falta de respeito. Não teria sido saudável. Mas é impossível dizer que uma reunião nunca irá acontecer. Não há uma pedra lançada que impossibilite isso.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasAndreas Kisser está aberto a chamar ex-integrantes do Sepultura para show final
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades