John Bonham disse à irmã Deborah que “rock e blues não eram bom lugar para garotas”

Saudoso baterista do Led Zeppelin queria que a cantora fosse veterinária ou advogada; contudo, ela não ouviu o conselho

Deborah Bonham, irmã mais nova do saudoso baterista John Bonham (Led Zeppelin), iniciou sua carreira na música durante a adolescência. Aos 17 anos, gravou suas primeiras demos na casa do vocalista Robert Plant e, já com cerca de 23, lançou o seu álbum de estreia, “For You and the Moon” (1985).

Desde então, a artista, orientada ao rock, blues e soul, nunca mais parou. Contudo, demorou até que ela decidisse trilhar esse caminho profissional, apesar da paixão pela área.

- Advertisement -

Isso porque, como explicou para a revista Prog, não tinha muito apoio externo, incluindo de Bonzo, que achava que o “rock e blues não eram um bom lugar para garotas”. 

Ela declarou:

“Quando eu era adolescente, eu pensava em me apresentar, mas John disse que o rock e o blues não eram um bom lugar para garotas. Ele queria que eu fosse veterinária ou advogada. Por um tempo, acabei indo para o campo da ópera. Acho que o Genesis me influenciou nisso.” 

Ao longo do bate-papo, Deborah destacou a paixão pelo Genesis, como também seus trabalhos favoritos envolvendo a banda. Para ela, a fase mais expressiva é com Peter Gabriel como vocalista do grupo, entre 1967 e 1975. 

“Eu amava todos os membros do Genesis como compositores, mas particularmente Peter Gabriel. Em álbuns como ‘The Lamb Lies Down On Broadway’, ele criou um mundo de fantasia, mas sempre havia alguma mensagem ou aspecto da realidade por trás, o que poderia tornar isso bastante político. Eu amava sua voz e anos depois, quando saiu um documentário sobre a produção do álbum ‘So’, ele falou o quanto amava Otis Redding. Eu sabia! Eu amava o Otis também.”

Por fim, acrescentou:

Leia também:  A música e o disco do Deep Purple que são os preferidos de Tony Iommi

“Nunca cheguei a vê-los tocar, nem o Peter em carreira solo, ainda. Mas eu esperava que ele estivesse no estúdio Real World [fundado por ele] quando mixamos nosso álbum [‘Bonham-Bullick’] lá. Ele não estava, mas nossos caminhos ainda poderiam se cruzar.”

Deborah Bonham e Jason Bonham

Anteriormente, Deborah já havia contado a mesma história. Conversando com o site Early Blues anos atrás, ela detalhou o período em que dedicou-se à ópera e, depois, como foi difícil mudar seu foco, sobretudo por causa dos anseios do irmão.

“Fiz ópera na escola e participei de várias competições escolares onde sempre fui a cantora principal […]. Tive uma grande discussão com John sobre mudar de gênero musical, porque ele não queria que eu fizesse isso. Hoje percebo, mas não percebi na época, que ele viu um lado do negócio em que achava que sua irmã mais nova não encaixava. Não só isso, mas naquela época o cenário era predominantemente masculino – bem, ainda é, na verdade. Não é fácil ser mulher e tentar fazer isso. John viu o lado hedonista muito ruim dos anos 70. Só quando ele morreu é que pensei em seguir nisso e experimentar, só para ver como seria, então liguei para Robert Plant, disse a ele que só queria ver se conseguia cantar e fui até a casa dele.”

Sobre Deborah Bonham

Ao longo do tempo, Deborah Bonham constituiu um público no Reino Unido e excursionou com Van Halen, Foreigner, Uli Jon Roth e Humble Pie, além do sobrinho Jason Bonham. Em parceria com o guitarrista e marido Peter Bullick, lançou em 2022 um projeto – com os sobrenomes da dupla, “Bonham-Bullick” –  composto por 13 releituras de diferentes épocas, com ênfase no blues.

Leia também:  A diferença entre Robert Plant e Paul Rodgers, segundo Jimmy Page

O baterista do Led Zeppelin

Nascido em 31 de maio de 1948 em Redditch, Worcestershire, Inglaterra, John Bonham foi um dos bateristas mais influentes e respeitados da história do rock.

Membro icônico do Led Zeppelin, ele desenvolveu um estilo único de tocar bateria, caracterizado por sua força, precisão e criatividade, estabelecendo um padrão para gerações subsequentes de instrumentistas.

Infelizmente, a carreira promissora de Bonham foi tragicamente interrompida em 25 de setembro de 1980, quando foi encontrado morto em sua casa depois de um porre homérico, aos 32 anos, deixando um vazio insubstituível na música.

Não obstante sua trajetória profissional tenha sido predominantemente associada ao Led, a contribuição de Bonham vai além da banda e inclui projetos e colaborações notáveis, como os listados nesta matéria (clique aqui).

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesJohn Bonham disse à irmã Deborah que “rock e blues não eram...
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades