Tommy Thayer irá se aposentar com o fim do Kiss? Ele responde

Além de administrar os negócios da banda, guitarrista pretende trabalhar em ideias musicais

Envolvido nos negócios do Kiss antes mesmo de se tornar um membro musical, o guitarrista Tommy Thayer seguirá administrando os negócios da banda, que encerrou atividades de palco no final do ano passado. Mas não fica por isso.

Em recente entrevista à revista Guitar World, o artista revelou seus futuros planos. Entre eles, está o prosseguimento da carreira criativa, interagindo com outros colegas – embora sem necessariamente entrar em outro grupo.

- Advertisement -

Ele explicou:

“Ainda não estou completamente pronto para me aposentar. Tenho ideias e certamente propostas em cima da mesa. Não estou pensando em continuar tocando com outra banda ou algo assim – isso não me atrai. Mas estou ansioso por um futuro emocionante, trabalhando duro e fazendo parte das coisas boas que estão por vir.”

Em dezembro de 2019, Tommy já havia dito ao site japonês RoppongiRocks que continuaria envolvido com o lado business do Kiss, visto que a marca seguirá ativa.

Leia também:  Por que Humberto Gessinger dá “graças a Deus” pelo rock ter perdido espaço

“Há muito a ser feito, várias oportunidades e possibilidades. Vou seguir com o que já faço há 25 anos.”

Sobre Tommy Thayer

Nascido em Portland, Oregon, Estados Unidos, Thomas Cunningham Thayer é filho de uma cantora clássica/violinista com um militar de reserva, empresário e líder comunitário. Começou a carreira tocando em bandas locais.

Seu primeiro momento de destaque ocorreu no Black ‘N Blue. Lançou 4 álbuns de estúdio, produzidos por Dieter Dierks, Bruce Fairbairn e Gene Simmons. Apesar de não ter feito tanto sucesso, o grupo se tornou um nome respeitado entre os fãs do hard rock oitentista.

A partir do final dos 1980, passou a se envolver com os bastidores do Kiss, atuando tanto na parte empresarial como na função de compositor. Assinou faixas nos álbuns “Hot In The Shade” (1989), “Carnival Of Souls: The Final Sessions” (1997) e “Psycho Circus” (1998) – tendo gravado passagens nesse último. Em 2002 substituiu Ace Frehley no posto de guitarrista, permanecendo até o final.

Leia também:  Journey: como Neal Schon e Jonathan Cain fizeram as pazes, segundo Deen Castronovo

Seu currículo também conta com gravações ao lado de Jimmy Barnes, Doro Pesch, Loverboy, Medicine Wheel, Shake The Faith e Harlow, entre outros.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesTommy Thayer irá se aposentar com o fim do Kiss? Ele responde
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

1 COMENTÁRIO

  1. Se rolasse uma reunião com o Black N Blue ia ser bom hein. A banda ta na ativa e sempre tem shows, e o vocalista continua ativo e cantando bem. o disco de 2011 já sem o Thayer é bem bom, daria para fazerem um disco muito bom se quisessem…

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades