Don Dokken lamenta não ter salvo o Dokken das drogas nos anos 80

Vocalista enfatiza que todo mundo na formação clássica cheirava cocaína, menos ele

O declínio da formação clássica do Dokken no final dos anos 1980 teve dois componentes essenciais. O primeiro teve a ver com as relações pessoais, especialmente as fricções entre o vocalista Don Dokken e o guitarrista George Lynch, que nunca se gostaram de verdade.

O segundo partiu do consumo de cocaína. Quem garante é o próprio frontman em entrevista ao podcast White Line Fever – nome bastante sugestivo para uma conversa do tipo. Conforme transcrição do Ultimate Classic Rock, o cantor explicou:

- Advertisement -

“Provavelmente a principal razão pela qual o Dokken se separou foi que havia três caras na banda consumindo muita cocaína. Eu não usava, então me sentia um pouco estranho com a situação. Ainda havia muita bebida, muita festa, o que me deixou deprimido no final.”

Para Don, o comportamento foi decisivo para impedir o grupo de chegar ao mais alto patamar na cena.

“Estávamos chegando tão perto de estar no topo, de ser uma atração principal. Mas eu simplesmente não consegui salvar a banda. Foi deprimente. Você trabalha duro a vida toda tocando em bares, quintais e acaba tendo que lutar para tentar se manter vivo.”

Um exemplo citado como parâmetro foi o Metallica – a quem Dokken já acusou de ter causado a decadência de seu grupo. Sobre o documentário “Some Kind of Monster” (2004), o artista disse:

Leia também:  O AVC e a recuperação de Nicko McBrain, detalhados por Bruce Dickinson

“Veja o que aconteceu ali, eles quase não conseguiram continuar. Tinham um terapeuta no estúdio todos os dias conversando com eles. Estavam discutindo e então Jason Newsted deixou a banda. E eles mostraram tudo.”

Cinebiografia

Em relação ao filme que estaria sendo preparado sobre o grupo, Don revelou que a proposta está mais para “Detroit Rock City” do que para “The Dirt”.

“A trama acontece em 1989 com quatro caras que são fãs. Eles estão nos seguindo e tentando nos encontrar. Acho que essa é a premissa. Então todos nós tivemos que escolher um ator. Eles me enviaram, tipo, seis pessoas – ‘Quem se parece com você?’ Eu digo, ‘Nenhuma delas!’”

Em 27 de outubro último, o grupo lançou seu álbum mais recente. “Heaven Comes Down” é o seu 12º trabalho de inéditas. Além de Don, a formação atual conta com o guitarrista Jon Levin e dois músicos que também integram o House of Lords, o baixista Chris McCarvill e o baterista Bill “BJ” Zampa.

Leia também:  Mustaine diz que Teemu Mäntysaari o fez sentir o mesmo que Ozzy com Randy Rhoads

Sobre o Dokken

Fundado em 1978, o Dokken se tornou um dos grandes sucessos na explosão do hard rock oitentista. A banda vendeu mais de 10 milhões de cópias dos seus álbuns, tendo como principais êxitos a sequência “Tooth and Nail” (1984), “Under Lock and Key” (1986) e “Back for the Attack” (1988), todos premiados com discos de platina nos Estados Unidos.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasDon Dokken lamenta não ter salvo o Dokken das drogas nos anos...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades