Por que o AC/DC recusou Eddie Kramer para a produção de “Highway to Hell”

Produtor trouxe ideias um tanto fora do escopo dos irmãos Young, abrindo caminho para Robert John “Mutt” Lange

“Highway to Hell” foi o primeiro sucesso realmente monstruoso da carreira do AC/DC. A banda australiana já gozava de grande admiração entre os fãs de rock, mas o seu quinto álbum (sexto na discografia australiana) os transformou em um verdadeiro fenômeno.

Um dos fatores cruciais foi o início da parceria com o produtor sul-africano Robert John “Mutt” Lange. Porém, ele não foi o primeiro nome oferecido.

- Advertisement -

A ideia da gravadora era que Eddie Kramer assumisse a função. Ele havia sido engenheiro de som de Jimi Hendrix, Led Zeppelin e Rolling Stones, entre outros. Também trabalhou anteriormente com o Kiss, com quem o AC/DC tinha excursionado, participando de discos como o fenômeno de vendas “Alive!”.

Porém, como lembrou o saudoso Malcolm Young à revista Guitar World (via Rock and Roll Garage) em 2003, não houve sintonia.

Leia também:  Todos os filmes dos Beatles no formato cinebiografia já lançados

“Não rolou a química. Mostramos alguns riffs e ele não entendeu onde queríamos chegar. Logo vimos que não era a pessoa certa.”

Angus Young foi além, explicando que algumas ideias de Kramer simplesmente não se encaixavam no que a banda significava.

“Ele ficava falando sobre pianos, achava que seria interessante para um grupo de rock and roll. É o tipo de coisa que não funciona conosco. Suas ideias não nos inspiravam.”

AC/DC, “Highway to Hell” e “Back in Black”

Lançado em 27 de julho de 1979, “Highway to Hell” marcou o rompimento do AC/DC com a dupla George Young e Harry Vanda, que havia produzido toda sua obra até então. Vendeu mais de 10 milhões de cópias em todo o mundo. Foi o último trabalho com o vocalista Bon Scott, que morreria no início do ano seguinte. Ele seria substituído por Brian Johnson.

Leia também:  Morrissey ainda não devolveu cachê de shows cancelados no Brasil, dizem produtoras

O álbum seguinte, “Back in Black”, aumentou ainda mais a popularidade do grupo, se transformando em um dos discos mais vendidos da história. Mutt Lange ainda trabalharia com o quinteto no seguinte, “For Those About To Rock”. Cansados da busca incessante por perfeição sonora do produtor, os irmãos Young encerrariam a parceria na sequência.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesPor que o AC/DC recusou Eddie Kramer para a produção de “Highway...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades