Como foi para os Rolling Stones gravar novo álbum sem Charlie Watts

Encarregado das baquetas em "Hackney Diamonds" é Steve Jordan, amigo de longa data do falecido integrante original

O álbum “Hackney Diamonds”, a ser lançado 20 de outubro, marca a primeira vez que os Rolling Stones gravaram sem Charlie Watts. O baterista faleceu em agosto de 2021 e chegou a deixar duas faixas registradas — “Mess it Up” e “Live By the Sword” —, mas o restante do material foi feito por Steve Jordan.

Em entrevista à Rolling Stone, os integrantes do icônico grupo falaram sobre a experiência de trabalhar sem o companheiro. O guitarrista Keith Richards, inicialmente, expressou tristeza com relação ao amigo falecido.

“Tudo que eu faço é um tributo a Charlie Watts. É impossível para mim gravar qualquer coisa sem automaticamente pensar que o senhor Watts está fazendo a batida. Se você tem Charlie Watts na música, já era. sinto falta disso, cara.”

- Advertisement -

Felizmente, o substituto de Watts é alguém com selo de aprovação do próprio. Jordan, dono de carreira longeva como músico de estúdio, era o único baterista autorizado por Charlie a tomar seu lugar com os Stones. O atual titular do posto tem também uma parceria de décadas com Keith em sua banda solo, The X-Pensive Winos.

Leia também:  CPM 22 conclui gravações de novo álbum: “finalmente”

Falando sobre Steve, o guitarrista Ronnie Wood não poupou elogios:

“Steve move o palco quando ele toca bateria. Ele parece um terremoto.”

Rolling Stones e “Hackney Diamonds”

“Hackney Diamonds” é o primeiro disco de inéditas dos Rolling Stones desde “A Bigger Bang”, de 2005. A banda passou os últimos dez anos entrando e saindo de estúdios sem que essas sessões rendessem material adequado.

À revista Rolling Stone, o vocalista Mick Jagger disse que isso o motivou a estabelecer um prazo após o grupo terminar sua turnê mais recente, em agosto de 2022.

“Eu falei para Keith: ‘acho que algumas das faixas são boas, mas a maioria não é da qualidade que precisam ser. Acho que a gente precisa de um prazo [para finalizar o disco] e aí saímos em turnê para promover o álbum’. Ele então olhou pra mim e falou: ‘Ok. Soa como o que costumávamos fazer’. Eu tenho certeza que Keith contaria isso de maneira diferente.”

Como se fosse uma premonição, Keith Richards apresentou sua versão da conversa.

“Tudo começou com Mick falando: ‘É importante que façamos um disco agora’. Eu sempre pensei isso, mas falei: ‘Isso aí, Mick’. [Risos] Então ele falou: ‘A gente devia fazer isso rápido e mandar ver’. Eu falei: ‘Se você tiver material suficiente que queira cantar, então estou contigo do seu lado’. Se o vocalista gosta de cantar o que está cantando, isso é 90% do jogo.”

O prazo estabelecido por Jagger foi 14 de fevereiro desse ano, Valentine’s Day (Dia dos Namorados no exterior). Apesar de ter sido encarado como uma previsão “otimista” pela banda, eles conseguiram aprontar o disco, que conta com participações especiais de Stevie Wonder, Elton John, Lady Gaga e Paul McCartney — além de Bill Wyman, baixista original do grupo.

Leia também:  Journey: como Neal Schon e Jonathan Cain fizeram as pazes, segundo Deen Castronovo

Confira “Angry”, o primeiro single de “Hackney Diamonds”, abaixo.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasComo foi para os Rolling Stones gravar novo álbum sem Charlie Watts
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda é jornalista formado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso e cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Apaixonado por música, já editou blogs de resenhas musicais e contribuiu para sites como Rock'n'Beats e Scream & Yell.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades