Throe contempla post rock, metal alternativo e rara sensibilidade em “O Enterro das Marés”

Entre beleza e dor, EP da one man band paulista se ampara em três músicas instrumentais que debatem finitude e novos começos sem recorrer a palavras

“O Enterro das Marés”, novo EP do Throe, diz muito sobre a vida mesmo sem recorrer a palavras. Composto por três músicas instrumentais que debatem finitude e novos começos, o material chama a atenção pela rara sensibilidade.

É possível se deparar com beleza e dor nas entranhas das composições, cuja mensagem reitera algo, simultaneamente, particular e universal: “…o vazio pode também ser entendido como um novo espaço a ser preenchido”.

- Advertisement -

No novo material, essa foi a diretriz encampada por Vinícius “Vina” Castro, a mente agônica por trás do Throe (“agonia”, em inglês). Como de costume, ele gravou quase todos os instrumentos: guitarras, sintetizadores e beats eletrônicos. O baixo ficou a cargo de Marco Nunes (Chaosfear, Genocídio, Sacrifix), que também cuidou da produção, mixagem e masterização no Tori Studio, em São Paulo.

Leia também:  Blaze Bayley oferece consistência sonora em “Circle of Stone”

Já a linguagem escolhida para transmitir esse mote que perpassa “O Enterro das Marés” remete ao post rock e ao metal alternativo – do industrial de um Godflesh até algo de sludge, como Isis. Em um piscar de olhos, o peso se entrelaça a paisagens sonoras contemplativas e, por vezes, melancólicas.

“Hope Shines in the Autumn Light” é o carro-chefe do EP. Do alto de seus 14 minutos de duração, o single introduz a ambiência e a explosão de texturas que norteiam o trabalho dessa one man band paulista, na ativa desde 2020.

“Bleed Alike” e “Renascente” são mais breves, mas nem tanto: 6 e 8 minutos, respectivamente. Enquanto um riff circular e hipnótico – mezzo Celtic Frost, mezzo Neurosis – conduz a primeira até o encontro com o industrial, a segunda reconforta, se valendo de guitarra limpa e synths etéreos num crescendo que conclui o EP de forma, digamos, edificante. Sim, o vazio pode dar lugar a algo que nos encante novamente.

Leia também:  Ace Frehley afunda com preguiçoso e redundante álbum “10,000 Volts”

“O Enterro das Marés” acaba de sair pelo selo Abraxas. Ouça a seguir, via Spotify, ou clique aqui para ouvir em outras plataformas de streaming.

Throe – “O Enterro das Marés”

  1. Hope Shines in the Autumn Light
  2. Bleed Alike
  3. Renascente

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioResenhasResenhas de discosThroe contempla post rock, metal alternativo e rara sensibilidade em “O Enterro...
Guilherme Gonçalves
Guilherme Gonçalves
Guilherme Gonçalves é jornalista formado pela Universidade Federal de Goiás (UFG). É repórter do Globo Esporte e atua no jornalismo esportivo desde 2008. Colecionador de discos e melômano, também escreve sobre música e já colaborou para veículos como Collectors Room e Rock Brigade. Atualmente revisa livros da editora Estética Torta e é editor do Morbus Zine, dedicado ao death metal e grindcore.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades