Por que Jay Weinberg não se intimidou ao entrar para o Slipknot

Baterista revelou que sua experiência com projetos anteriores diminuiu pressão de substituir Joey Jordison

No fim de 2013, o Slipknot surpreendeu os fãs com o anúncio do desligamento de Joey Jordison do posto de baterista. Com a saída de um dos integrantes mais antigos, as atenções se viraram para o novato Jay Weinberg, que enfrentou um clima de pressão intimidador. 

Em entrevista à Metal Hammer, o músico refletiu sobre o desafio de substituir Jordison. De acordo com Weinberg, sua experiência com projetos anteriores ajudou a atenuar a cobrança pela chegada ao Slipknot. 

“Nunca me senti intimidado pela pressão de substituir Joey [Jordison]. Até aquele ponto, eu sempre vinha participando de projetos existentes, principalmente como baterista de Bruce Springsteen e a E Street Band. Para mim, isso é incrivelmente intimidador. Eu tocava para multidões de 80 a 90 mil pessoas em estádios e tocava bateria há apenas três anos!”

- Advertisement -

Filho de Max Weinberg, baterista da E Street Band desde 1975, Jay precisou substituir o pai em uma série de apresentações da “Magic Tour” e “Working on a Dream Tour”, turnês de Springsteen que aconteceram entre 2008 e 2009. Na época com dezoito anos, Jay tinha experiência que se resumia a bandas amadoras como Reveling e Sadie Mae. 

Leia também:  Conception cancela show em Curitiba e confirma nova data em SP

O músico ainda revelou que a E Street Band o ensinou a lidar com o trabalho de outro artista. Ainda assim, segundo ele, o Slipknot foi um desafio que elevou sua vivência. 

“Tendo conseguido isso, eu me preparei para ser esse cara que poderia pular de um trem de carga em movimento, seja na Madball ou Against Me!. Então, eu me coloquei naquele contexto, e soube ser eu mesmo, soube encontrar minha própria voz no catálogo de outro artista. Mas o Slipknot foi o maior desafio. Isso elevou toda a minha experiência e aumentou os mostradores para 20.”

Jay Weinberg, Slipknot e mais

Jay Weinberg começou sua trajetória com a bateria aos 14 anos de idade. Durante a adolescência integrou bandas amadoras de metal e punk.

Leia também:  Por que Tim Commerford (Rage Against the Machine) sente vergonha de ser americano

Aos 18, teve sua primeira experiência como músico profissional, substituindo o pai, Max Weinberg, durante algumas apresentações da Bruce Springsteen com a E Street Band. 

Entre 2010 e 2012 integrou brevemente as bandas Madball e Against Me!. Em 2014, se juntou ao Slipknot, e ao lado do grupo gravou três álbuns até o momento – “5: The Gray Chapter” (2014), “We Are Not Your Kind” (2019) e “The End, So Far” (2022). Foi eleito o melhor baterista de metal de 2022 pela revista Modern Drummer. 

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasPor que Jay Weinberg não se intimidou ao entrar para o Slipknot
Tairine Martins
Tairine Martinshttps://www.youtube.com/channel/UC3Rav8j4-jfEoXejtX2DMYw
Tairine Martins é estudante de jornalismo na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Administra o canal do YouTube Rock N' Roll TV desde abril de 2021. Instagram: @tairine.m

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades