Como telefonema na hora certa colocou John Paul Jones no Led Zeppelin

Baixista procurava banda e já conhecia Jimmy Page de outras parcerias como músicos de estúdio

O mundo do Led Zeppelin gira em torno da figura de Jimmy Page desde sua concepção. Após o fim do The Yardbirds, o guitarrista estava disposto a montar a melhor banda que tivesse condições de reunir. Assim surgiu o The New Yardbirds, que posteriormente mudaria o nome para aquele que o consagraria mundialmente.

O vocalista Robert Plant e o baterista John Bonham já tocavam juntos na Band of Joy. O primeiro acabou puxando o segundo para a nova aventura. Mas faltava um baixista, que se tivesse outras habilidades, melhor ainda.

- Advertisement -

Foi quando John Paul Jones entrou na parada. Em entrevista à revista Classic Rock, ele recordou estar meio descrente com o mundo da música à época, cansado de ser um mero instrumentista contratado para trabalhos em estúdio.

“Já conhecia Jimmy de algumas sessões. Normalmente, éramos Big Jim Sullivan e Little Jim [Page] nas guitarras, eu e um baterista. À época, ele sempre ficava na guitarra base porque ainda não conseguia ler música muito bem. Fazíamos qualquer coisa que pedissem. Então eu costumava vê-lo muito sentado com um violão, meio que tocando acordes.”

Leia também:  A reação de Pattie Boyd ao ouvir “Layla”, de Eric Clapton, pela 1ª vez

A vida corria monótona, até que a esposa de John o alertou de uma possibilidade.

“Ela perguntou ‘Por que você não entra em uma banda ou algo assim?’ Respondi: ‘Não há nenhuma banda que eu queira entrar’. E ela disse: ‘Bem, olha, Jimmy Page está formando um grupo’. Acho que havia lido na revista Disc. ‘Por que você não liga para ele?’ Então liguei: ‘Jim, como você está? Você já tem um grupo?’ Ele não tinha e eu falei: ‘Bem, se você quer um baixista, me ligue.’ E ele disse: ‘Tudo bem. Estou indo para Birmingham ver esse cantor de quem Terry Reid me falou, ele conhece um baterista também. Ligo para você quando souber como eles são.”

O começo difícil, segundo John Paul Jones

Obviamente, o cantor foi aprovado, conseguiu levar o baterista a tiracolo e o New Yardbirds iniciou sua jornada. Mas ela não foi tão mágica quanto os românticos do rock podem imaginar.

“Ninguém nos contratava em nenhum lugar no começo. Mas ensaiamos e gravamos um álbum em três semanas. Na primeira vez, todos nós nos encontramos nesta pequena sala apenas para ver se poderíamos suportar uns aos outros. A partir de então, eu não ficaria sem o Zeppelin por nada no mundo. Veio a turnê e a coisa decolou.”

Foram 11 anos de uma curva ascendente que não parecia terminar. Até que a morte de John Bonham deu o fim inesperado – embora uma ou outra reunião tenha sido feita, a banda jamais retornou em tempo integral.

Leia também:  Brian May surpreende ao escolher o melhor riff do Deep Purple

Sobre o Led Zeppelin

O Led Zeppelin vendeu mais de 300 milhões de cópias dos seus discos em todo o planeta. Até mesmo por nunca ter voltado, a banda adquiriu um status quase sagrado junto aos fãs.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesComo telefonema na hora certa colocou John Paul Jones no Led Zeppelin
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades