Brian Molko é investigado por criticar primeira-ministra da Itália em show do Placebo

Músico pode ser multado em até 5 mil euros (cerca de R$ 26,9 mil) por ter chamado Giorgia Meloni de "fascista" e "racista"

A Justiça italiana abriu uma investigação contra Brian Molko, vocalista e guitarrista do Placebo, após o músico chamar a primeira-ministra do país, Giorgia Meloni, de racista e fascista. O caso se deu durante uma apresentação da banda no Sonic Park Festival, em Stupingi, nos arredores de Turim.

Em vídeos capturados pelo público (via La Repubblica, transcrição do The Guardian), Molko é visto gritando em italiano:

“Giorgia Meloni, pedaço de m#rda, fascista, racista.”

- Advertisement -

O código penal italiano atribui multas entre 1 mil e 5 mil euros (cerca de R$ 5,3 mil a R$ 26,9 mil, na cotação atual) a qualquer um que “publicamente difame a república”. O entendimento legal inclui o governo, parlamento, cortes e o exército.

Leia também:  Quarta temporada de “The Boys” ganha data de estreia

O escritor Roberto Saviano, mundialmente famoso por seu livro “Gomorra” — que mostra os bastidores da máfia napolitana —, enfrenta um processo movido por Meloni em pessoa após ter chamado a premier de “bastarda” (“desgraçada”) enquanto criticava a posição anti-imigração do governo. 

Giorgia Meloni, Brian Molkoe Placebo

Giorgia Meloni lidera o governo mais inclinado à extrema direita eleito na Itália desde a Segunda Guerra Mundial, quando eram comandados pelo fascista Benito Mussolini. Uma das medidas mais criticadas de sua administração até agora foi a proibição de aglomerações ilegais, algo visto pela Anistia Internacional como um decreto feito para coibir protestos pacíficos.

De acordo com a Variety, a consequência mais imediata da crítica de Brian Molko a Meloni é que provavelmente haverá um movimento político contra um show do Placebo dia 1º de agosto na cidade de Sassari, na Sardenha. 

Leia também:  Como a Marvel tem aproveitado para resetar seu Universo Cinematográfico

Membro de direita do conselho municipal da cidade, Mariolino Andria, lançou um apelo ao prefeito, Nanni Campus, do mesmo espectro ideológico, perguntando:

“Que ações a administração pretende tomar para evitar uma repetição desagradável do que ocorreu em Stupingi e como pretente censurar [a possibilidade] de tal evento?”

Atente à palavra usada acima.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasBrian Molko é investigado por criticar primeira-ministra da Itália em show do...
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda é jornalista formado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso e cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Apaixonado por música, já editou blogs de resenhas musicais e contribuiu para sites como Rock'n'Beats e Scream & Yell.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades