Quando Jorge Ben Jor processou Rod Stewart por plágio – e venceu

É impossível não lembrar do “teretetê” de “Taj Mahal” no refrão de “Da Ya Think I’m Sexy”

O que Jorge Ben Jor e Rod Stewart têm em comum? Os dois cantores são de estilos completamente diferentes, mas se enfrentaram um famoso caso de plágio vencido pelo brasileiro.

O hit “Do Ya Think I’m Sexy”, de Stewart, foi lançado em 1978 no disco “Blondes Have More Fun”. Mas seis anos antes, em 1972, Ben entregava ao mundo o álbum “Ben”, com a maravilhosa “Taj Mahal” – de onde “surgiu” a ideia do escocês.

A situação envolvendo ambas as canções ficou ainda mais evidente porque o artista brasileiro fez uma nova versão para a música em 1976, no disco “África Brasil”.

Com direito a matéria no “Fantástico”, da TV Globo, o caso foi amplamente acompanhado pela mídia nacional. E a história teve final feliz para Jorge Duílio Lima Meneses.

O que dizia Jorge Ben Jor

Ao ser entrevistado pelo “Fantástico”, Jorge Ben Jor disse que soube de “Do Ya Think I’m Sexy” por meio de amigos que a ouviram em discotecas.

“Soube por amigos e conhecidos que frequentam discoteca que a minha música havia sido gravada por Rod Stewart. Até então, não sabia que tinha um pedaço da minha música. Eu pensava que ele tinha gravado minha música, pessoal sempre dizia, mas depois fui ver e não era a minha música.”

Músicos apontaram ao artista que a semelhança não parecia ser ocasional, pois estendia-se a oito compassos.

“A coincidência musical pode acontecer. Por exemplo: ouço tudo por cima para não fazer igual, mas pode acabar algum dia fazendo. Só que, poxa, como todos falam na escala, na divisão, que foram oito compassos… já não é mais coincidência.”

Rod Stewart e o plágio involuntário

As regras que se aplicam ao direito autoral são complexas, especialmente na área da música. Como essas normas podem variar de acordo com o país, processos de plágio não costumam ser nada simples. Só que Rod Stewart deu tanto azar nesse sentido que não dava nem para negar.

Um dos itens levados em conta neste e em outros julgamentos da área é se o acusado teve contato (ou algo próximo disso) com a música plagiada durante o período que envolve a composição. Curiosamente, neste caso, isso ocorreu.

Embora defina a situação como um “plágio involuntário”, o próprio Rod confessa em sua autobiografia, lançada em 2012, que chegou a ouvir “Taj Mahal” antes de fazer “Da Ya Think I’m Sexy”. Como? Ele veio ao Brasil no Carnaval de 1978, junto de Elton John e Freddie Mercury (Queen).

“Certo. Tive que dar a mão à palmatória. Mas claro que não cheguei assim no estúdio e falei: ‘vamos usar a melodia de ‘Taj Mahal’ no refrão e azar; o compositor mora no Brasil, então nunca descobrirá’. Só que eu tinha ido pro carnaval do Rio, em 1978, com Elton John e Freddie Mercury. E lá duas coisas significativas me aconteceram. Me apaixonei por uma estrela de cinema brasileira lésbica, que não deixava me aproximar dela. Depois, ‘Taj Mahal’, de Ben Jor tocava o tempo inteiro, foi relançada naquela época, e obviamente a melodia alojou-se na minha memória, emergindo quando comecei fazer a música. Puro e simples plágio inconsciente. Abri mão dos royalties, me perguntando se ‘Da Ya Think I’m Sexy?’ era meio amaldiçoada.”

E Jorge Ben Jor não foi o único: o escocês também admitiu ter “pegado emprestado” outra parte de “Do Ya Think I’m Sexy” do hit “(If You Want My Love) Put Something Down On It”, de Bobby Womack.

O caso tramitou na Justiça e não demorou muito até que um resultado fosse obtido: Jorge foi reconhecido como autor da música ao lado de Rod, Duane Hitchings e do baterista Carmine Appice. Stewart sugeriu que os royalties da canção fossem doados ao Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o caso foi encerrado de forma amigável pelas duas partes.

Jorge Ben Jor e os direitos

No final dos anos 1980, o cantor brasileiro voltaria a ter problemas envolvendo direitos autorais – agora não em relação à música, mas a seu nome.

Em 1986, os discos de Ben começaram a ser lançados também nos Estados Unidos. Para evitar confusões, o cantor George Benson entrou com um pedido para que ele mudasse seu nome artístico.

Dessa forma, a partir de 1989, Jorge Benjor passou a ser adotado pelo brasileiro. A grafia foi alterada posteriormente para Jorge Ben Jor, como é conhecido até os dias atuais.

Para dar traços ainda mais cômicos à situação improvável envolvendo Jorge Ben Jor e Rod Stewart, um terceiro personagem resolveu entrar na brincadeira. O bluesman que atende pelo nome de Taj Mahal lançou uma versão (obviamente creditada) da música “Taj Mahal” no álbum ao vivo “Live & Direct”, de em 1979. Porém, ele alterou o título para… “Jorge Ben”.

* Texto por André Luiz Fernandes e Igor Miranda, com pauta e edição por Igor Miranda.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

1 comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
138
Share