Paul Di’Anno diz que Tobias Forge não se esforçou ao regravar “Phantom of the Opera”

Cantor da versão original reconheceu ter se excedido nas primeiras críticas por estar “de mau humor”

Recentemente, o Ghost lançou o EP “Phantomime”, mais um da saga de trabalhos no formato contando com covers. Entre eles está uma versão para “Phantom of the Opera”, clássico do primeiro álbum do Iron Maiden, disponibilizado em 1980.

De forma ampla, o take ganhou aprovação. O vocalista, multi-instrumentista e chefão da empreitada, Tobias Forge, promoveu alterações na letra, adaptando a narrativa para a 1ª pessoa. De acordo com o próprio, Steve Harris estava ciente da mudança e deu sua aprovação.

- Advertisement -

Porém, quem não gostou foi Paul Di’Anno. Em postagem já deletada no Facebook, o cantor dos primeiros discos da Donzela de Ferro declarou:

“Todos estão perguntando minha opinião sobre o cover feito pelo Ghost de ‘Phantom of the Opera’. Não importa, mas é uma porcaria.”

A seguir, ele pediu sugestões de que músicas do Ghost poderia “estragar”. Posteriormente, apagou esse post também e pediu para que ninguém mais tocasse no assunto.

Leia também:  Eddie Vedder e Post Malone cantam músicas do Pearl Jam e Tom Petty

Alguns dias se passaram e o vocalista concedeu entrevista à Loaded Radio, transcrita pelo Blabbermouth. Mais calmo, Di’Anno tentou se explicar.

“A música é ótima. Eu só não acho que Tobias se esforçou o suficiente vocalmente. Ele soa um pouco simples… E ele mudou a letra um pouco… Isso foi um pouco estranho.”

O mau humor de Paul Di’Anno

Em relação ao post raivoso, Paul atribuiu a um mau dia.

“Quando eu ouvi pela primeira vez, provavelmente estava de mau humor e disse: ‘isso é besteira’. Mas depois a ouvi outras três ou quatro vezes. A música é muito boa, na verdade, para ser honesto com você. Mas, como eu disse, sinto que Tobias não deu uma boa energia, como dizemos… Dê-me um pouco mais de profundidade.”

O cantor ainda deixou claro não ter nada contra o Ghost e seu líder.

“Independentemente do que você pensa do Ghost, estou muito feliz pelo que eles alcançaram. Talvez eu estivesse chateado com a vida naquele dia, como sempre. Quanto mais velho, mais mal-humorado fico. Depois de passar dos 50, você tem todo o direito de dizer o que quiser. Mas como falei, eu só queria que ele se esforçasse um pouco mais nos vocais. Isso é tudo.”

Ghost e “Phantomime”

“Phantomime” chegou ao Top 10 em 9 paradas internacionais. Destaque para o 1º lugar na Suécia, 6º no Reino Unido e 7º nos Estados Unidos. Além de “Phantom of the Opera”, o trabalho conta com versões para “See No Evil” (Television), “Jesus He Knows Me” (Genesis), “Hanging Around” (The Stranglers) e “We Don’t Need Another Hero (Thunderdome)” (Tina Turner).

Leia também:  Jake E. Lee disse a Bruce Dickinson que “esgrima é meio gay” e quase se encrencou

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasPaul Di’Anno diz que Tobias Forge não se esforçou ao regravar “Phantom...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades