Bruce Dickinson foi sondado para entrar no Rainbow, mas não rolou por razão curiosa

Consulta aconteceu quando o vocalista ainda cantava no Samson, sua banda pré-Iron Maiden

Quem acompanha a carreira de Bruce Dickinson sabe que entre suas bandas preferidas está o Deep Purple. Já há algum tempo, o vocalista excursiona pelo mundo em apresentações celebrando o Concerto for Group and Orchestra, iniciativa do saudoso tecladista do grupo, Jon Lord.

Porém, antes da consagração mundial com o Iron Maiden, o cantor quase cantou no Rainbow, dissidência do Purple liderada pelo guitarrista Ritchie Blackmore. A história foi contada pelo próprio em 2018, durante entrevista à Australian Broadcasting Corporation (ABC), via Whiplash:

“Ritchie Blackmore supostamente estava me considerando candidato para ser cantor do Rainbow. Recebi um telefonema no meio da noite, quando eu estava em uma banda chamada Samson. Era o roadie de guitarra de Ritchie. Ele perguntou: ‘Você está interessado em trabalhar cantando no Rainbow?’. Eu respondi: ‘Claro que estou!’. E foi isso, foi a última vez que ouvi falar disso.”

- Advertisement -

Tempos depois, Dickinson ficou sabendo o peculiar motivo que o tirou do páreo.

“Eu perguntei mais tarde: ‘Isso foi real?’. Eles disseram: ‘Estava em discussão, mas havia algo a ver com suas calças. Blackmore se opôs ao tipo de calças que você usava.’”

Apesar de parecer bobo, uma análise da cronologia de calças do cantor – e a postura que Ritchie costuma cobrar de seus contratados – fará com que os fãs entendam, mesmo que não concordem.

Leia também:  Por que baixista é a melhor função de uma banda, segundo Steve Di Giorgio

Bruce Dickinson no Brasil

Em abril, Bruce passa por terras brasileiras para quatro shows executando o Concerto for Group and Orchestra, além de surpresas preparadas para a ocasião.

Eis as datas e locais:

  • 15/04/2023: São Paulo (Vibra São Paulo)
  • 19/04/2023: Curitiba (Teatro Positivo)
  • 21/04/2023: Rio de Janeiro (Vivo Rio)
  • 25/04/2023: Porto Alegre (Auditório Araújo Vianna)

Acompanharão o cantor: John O’Hara (Jethro Tull) nos teclados, Tanya O’Callaghan (Whitesnake) no baixo, Kaitner Z Doka (Jon Lord, Ian Paice) na guitarra, Bernard Welz (Jon Lord, Don Airey) na bateria e Mario Argandonia (Scorpions) na percussão.

A orquestra será conduzida por Paul Mann, que atuou na reconstrução da obra no final dos anos 1990, após Jon Lord ter perdido o roteiro original. Ela será formada por músicos da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo), com o acréscimo de integrantes de outras sinfônicas nacionais.

Leia também:  A resposta de Rickey Medlocke a quem critica Lynyrd Skynyrd atual

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesBruce Dickinson foi sondado para entrar no Rainbow, mas não rolou por...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades