Fã que discutiu com Ricardo Confessori diz que irá processar baterista

Músico do agora extinto Shaman disparou ofensas homofóbicas durante discussão após ter divulgado conteúdo político

O médico veterinário e músico Mateus Ferreira anunciou que tomará medidas legais cabíveis contra Ricardo Confessori. Os dois entraram em uma discussão que descambou para ofensas com conteúdo homofóbico proferidas pelo integrante do agora extinto Shaman.

Confessori fez uma publicação questionando o atual presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva, após um discurso repudiando os atos antidemocráticos contra as instalações dos três poderes da nação, ocorridos no último domingo (8) em Brasília. Referindo-se ao mandatário como “presidente fake” e o acusando de proferir mentiras, o instrumentista gerou discordâncias nos comentários.

- Advertisement -

Um deles veio através de Mateus, ex-baixista da banda Emphuria. Ao respondê-lo, com um português de nível baixíssimo, Ricardo cometeu crime de ódio, declarando:

“Você não passa de um boiólogo [sic] que reprovou em medica. Nível fraco. Volta aqui quando for médico pelo menos. Homem de esquerda é piada pronta. Sai do polo feminino. Feministo não binário, se enxerga, olha sua cara de otário.”

https://www.instagram.com/p/CnN8FeiIlb-/
https://www.facebook.com/guitarrasfeia/posts/716621853161477

Já nesta quarta-feira (11), Mateus publicou um vídeo onde fala sobre as medidas que tomará daqui por diante. Diz o texto que acompanha a publicação:

“Ricardo Confessori, nossa conversa ainda não terminou!

Resolvi me manifestar a respeito do ocorrido. Infelizmente estamos experienciando um momento grotesco em nossa história político democrata, onde não se sabem mais a diferença entre certo E errado, liberdade de expressão ou incitação ao ódio, não sabemos mais o que esperar de uma determinado público que com certa segurança no absurdo, dissemina informações falsa, errôneas e criminosas.

Eu, juntamente com minha banda de coração @emphuria resolvendo NÃO NOS CALAR, e vamos levar até o fim para que situações como essa não voltem a se repetir.

Ricardo Confessori, agora ex integrante da banda shaaman extrapolou os limites do bom senso e da educação, aferindo duras críticas a minha condição sexual, profissional e moral, será acionado judicialmente e terá que se retratar por todas as tolices ditas e que podem ser conferidas neste post.

FASCISTAS, HOMOFOBICOS, RADICAIS NAO PASSARÃO, NÃO POR AQUI E NÃO ENQUANTO EU ESTIVER VIVO.

ricardoconfessori (não pode ser marcado, covarde!)

@shamanofficial (lamento o término, mas as vezes vínculos devem ser quebrados para que possamos crescer)

@angra (sempre que ouvir os trabalhos que esse indivíduo participou vou lembrar dessa triste ocorrência, mas continuo amando a arte que vocês criaram).

E que a justiça seja feita.”

https://www.instagram.com/p/CnQ8BL7odUO/

Vale ressaltar que a homofobia é crime no Brasil desde 2019, após decisão do Supremo Tribunal Federal. Na ocasião, foi decidido que o ato, assim como a transfobia, se encaixa nas mesmas diretrizes das leis que punem o racismo em nossa sociedade. A pena varia de 1 a 3 anos de reclusão, podendo chegar a 5 se houver divulgação em meios de comunicação ou redes sociais.

Leia também:  Edu Falaschi anuncia show em SP da turnê “Rebirth Live in SP Revisited”

Fim do Shaman após atitudes de Ricardo Confessori

Após a repercussão das atitudes de Ricardo Confessori, o baixista Luís Mariutti anunciou sua saída do Shaman. Na sequência, o guitarrista Hugo Mariutti, seu irmão, confirmou o encerramento das atividades da banda após os compromissos previamente assumidos. O vocalista Alírio Netto apoiou a decisão e externou seu repúdio a qualquer prática que envolva discurso de ódio.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasFã que discutiu com Ricardo Confessori diz que irá processar baterista
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades