O morador de rua que fingiu ser Peter Criss e enganou até revista

Ex-baterista do Kiss chegou a confrontar o farsante em um programa de TV, numa história que escalou em absurdo rapidamente

Em 1991, a revista tabloide americana Star publicava uma matéria triste. Segundo o texto, o baterista original do Kiss, Peter Criss, estava totalmente falido e morando nas ruas de Los Angeles. Havia ainda uma foto dele, em comparação com os tempos de estrelato.

O problema é que tudo isso era mentira e o músico não ficaria nada feliz em saber do que estava acontecendo.

- Advertisement -

Peter Criss descobre o impostor

Naquele período, mais de 10 anos longe do Kiss, Peter Criss tinha acabado de perder sua mãe em Nova York e voltou para Los Angeles. Foi lá que ele foi avisado da notícia que circulava a seu respeito. Na autobiografia “Makeup to Breakup: My Life in and Out of Kiss”, ele relembrou sua reação na época.

“Eu fiquei em choque. Tinha uma foto de um cara que dizia que era eu caído nos banheiros de Santa Monica, e do lado havia uma foto minha com a maquiagem do Kiss. Fiquei furioso.”

De fato, os anos 80 não haviam sido de tanta atividade assim para o baterista, que seguiu carreira solo, mas longe de ter ficado totalmente falido. Criss tratou de processar a publicação, mas surgiu uma proposta de resolver a questão em um programa de TV, o The Phil Donahue Show.

Leia também:  O perigoso presente dado a Ozzy que fez Sharon repreender o responsável

Confronto na TV

Em 5 de fevereiro de 1991, após relutar bastante, Peter Criss foi ao programa, onde finalmente encontrou Christopher Dickinson, o impostor.

O homem, viciado em crack e álcool, admitiu que contou a história que a revista queria ouvir em troca de 500 dólares e uma noite em um motel da região, ao ser abordado por um repórter enquanto estava na fila para receber comida. O Ultimate Classic Rock relembrou uma de suas falas.

“Noventa por cento do tempo, eu estava fora do ar. Chapado. Bebendo. Estava andando no relento por meses e meses e meses.”

O programa de TV ainda esquentou mais com a presença de Cheryl Ann Thompson, uma atriz que dizia ter se relacionado com Criss no passado. Ela também se dizia enganada pela reportagem e organizou tudo para que o falso músico fosse levado até sua casa, em Boston, antes de descobrir que tudo se tratava de uma farsa.

Leia também:  Brian May surpreende ao escolher o melhor riff do Deep Purple

Criss, por sua vez, soltou os cachorros no Star, em Dickinson e em Thompson. Na frente das câmeras, o baterista foi relativamente polido em suas reclamações, mas reza a lenda que nos bastidores o clima esquentou. O baterista descobriu, depois, que Dickinson vinha se passando por ele há algum tempo, chegando a alugar estúdios e limusines.

Retratação

No final das contas, o Star acabou publicando uma matéria de retratação, mostrando como todos foram enganados por Christopher Dickinson.

O processo de Peter Criss foi resolvido em um acordo, pago em uma boa quantidade de dinheiro. Desde então, não se ouviu mais falar do falso baterista do Kiss.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO morador de rua que fingiu ser Peter Criss e enganou até...
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Interessado em música desde a infância, teve um blog sobre discos de hard rock/metal antes da graduação e é considerado o melhor baixista do prédio onde mora. Tem passagens por Ei Nerd e Estadão.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades