Paul Stanley conta como supera diferenças com Gene Simmons no Kiss

Dupla comanda a banda há meio século, embora nem sempre alinhados em ideias: "compartilhamos um orgulho no que fazemos"

A despeito das mudanças na guitarra solo e bateria, o Kiss conseguiu um feito histórico que é manter metade de sua formação intacta por 50 anos. Gene Simmons e Paul Stanley chegaram a ter divergências, momentos de distanciamento, mas jamais romperam laços.

Durante sessão de perguntas e respostas na recente edição do Kiss Kruise, o Starchild foi convidado a refletir sobre o relacionamento com o colega e amigo. Ele declarou, de acordo com transcrição do Blabbermouth:

“Sim, somos muito diferentes, mas certamente compartilhamos um orgulho no que fazemos, uma ética de trabalho. Talvez porque nossos pais vieram da Europa, onde acho que isso é importante, é esse orgulho do trabalho duro que você faz pelo seu dinheiro. Fora isso, acho que uma das coisas que levei muito tempo para aprender – e acho que Gene também, a propósito… é que somos uma família. Ele é um irmão para mim.”

- Advertisement -

Como é tradicional entre irmãos, nem sempre há harmonia. Paul admite, mas conta como fez para contornar a situação.

“Lembro que havia coisas sobre ele que costumavam me deixar louco. Então percebi que isso não é problema dele, é problema meu. Quando as pessoas fazem algo e isso te incomoda, você precisa descobrir por que isso te incomoda, não esperar que eles mudem. Não é sobre eles. E as coisas que costumavam me incomodar sobre Gene, eu só tive que descobrir, ‘Espere um minuto. Esse é o meu problema que me incomoda. E por que isso me incomoda?’ Porque ele só pode ser o melhor que ele pode ser. Ele nunca vai ser eu, e eu nunca vou ser ele. Então é apenas uma questão de colocar um monte de coisas de lado. Não vamos mudar ninguém, então precisamos descobrir por que isso nos incomoda.”

Leia também:  Dono de bar rock em SP é morto ao defender mulher de assédio

A despedida do Kiss

A associação entre Gene Simmons e Paul Stanley será eterna. Porém, o Kiss está na reta final da carreira. A banda pretende encerrar atividades após a conclusão da atual turnê, a End of the Road.

Embora já tenham passado pelo Brasil este ano, há a possibilidade de um retorno em 2023, conforme o empresário Doc McGhee revelou também durante o cruzeiro temático da banda. Há até um objetivo definido, que é tocar em Manaus.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesPaul Stanley conta como supera diferenças com Gene Simmons no Kiss
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades