Músicos do rock e metal reagem após direito ao aborto ser suspenso nos EUA

Com derrubada da decisão, cada estado do país poderá decidir sobre caminhos a seguir em relação à questão

Nesta sexta-feira (24) a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou a decisão que garantia o direito ao aborto em todo o território nacional. Com isso, cada estado poderá decidir sobre os caminhos a seguir em relação à questão. A tendência é que os mais propensos ao conservadorismo imponham sanções mais ferrenhas.

Músicos da cena rock/metal foram às redes sociais e reagiram à definição, que teve 6 votos pela mudança contra 3 pela manutenção das leis vigentes.

Pearl Jam: “Ninguém, seja o governo, políticos ou a Suprema Corte, deveria proibir o acesso ao aborto, controle de nascimento e contraceptivos. As pessoas devem ter LIBERDADE de escolha. A decisão de hoje impacta a todos, especialmente mulheres pobres que não têm condições de viajar para ter acesso a tratamento. Seguiremos ativos na luta, sem retroceder ou desistir. Eleições têm consequências, junte-se a nós.”

https://twitter.com/PearlJam/status/1540341487564726275

Hayley Williams (Paramore): “Ainda parece impossível compreender que vivemos em um país tão dividido em direitos humanos básicos, ou seja, saúde e direitos reprodutivos das mulheres. […] Estou tão irritada e cansada. Não sou a única. Eu não posto mais neste aplicativo, mas baixei esta manhã para dizer algo, porque parecia estranho ter nossa equipe postando meus sentimentos de raiva por mim. Eu sei que existem inúmeros líderes de organizações, ativistas e cidadãos deste país que estão aqui fazendo um trabalho ingrato para fazer qualquer sinal de progresso. Mantendo viva a esperança. Muito obrigado às pessoas que estão lutando pelos direitos das mulheres diariamente e de maneiras que eu nunca vou saber. Hoje NÃO é o fim.”

https://www.instagram.com/p/CfMhh7Tptd2/

David Draiman, vocalista do Disturbed: “O governo não deve dizer o que alguém pode ou não fazer com o próprio corpo. Ponto final. Isso é uma piada grotesca.”

Todd La Torre, vocalista do Queensrÿche: “Os cultos religiosos estão um passo mais perto de uma teocracia. Que piada. Fizemos o relógio voltar décadas para as mulheres.”

Alex Skolnick, guitarrista do Testament: “Hoje eles (Thomas/Gorsuch/Barrett/Kavenough – cada um dos quais cometeu perjúrio em audiências) estão forçando a gravidez indesejada sobre as mulheres. Ontem eles forçaram mais armas sobre todos nós. Em seguida, controlando a vida sexual, estilo anos 1950 (sem brincadeira). ISSO VAI SER GUERRA.”

Brett Gurewitz, guitarrista do Bad Religion: “Horrorizado, mas não surpreso com a decisão da Suprema Corte de derrubar Roe vs. Wade. Hoje e para sempre eu estou com as mulheres com raiva e luto por sua perda de liberdade pessoal.”

Brian Fair, vocalista do Shadows Fall: “Enojado que “justiças” não eleitas possam arrancar direitos e precedentes de 50 anos, mandando nosso país para trás. Que direitos eles almejarão em seguida?”

Yungblud: “A Suprema Corte acabou com o direito constitucional de obter um aborto dizendo que deveria ser deixado para cada estado decidir. Isso é horrível! Eles simplesmente tiraram o direito de decidir sobre o próprio corpo de alguém! Precisamos falar: seu corpo, sua escolha! #AbortoÉQuestãoDeSaúde”

O caso Roe Vs. Wade ocorreu em 1973 e passou a valer como entendimento de que o direito ao respeito à vida privada garantido pela Constituição se aplicava ao aborto. De acordo com o G1, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou a decisão da Suprema Corte, que chamou de “ideologia extremista”. Biden defendeu que o direito ao aborto seja transformado em lei, disse que fará tudo o que estiver a seu alcance para “proteger a saúde das mulheres” e pediu protestos pacíficos.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

2 comentários
  1. Se quiser complementar a matéria, o M. Shadows, vocalista do Avenged Sevenfold, também se pronunciou no Twitter dele. No mais, inacreditável esse retrocesso. Aonde vamos parar?

  2. Ninguém deveria ter o suposto direito de tirar a vida de outra pessoa, ainda mais de um inocente. A verdade é que ocorreu um avanço que, espero, seja seguido pelo mundo todo, inclusive, com penas gravosas e que sejam cumpridas integralmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
39
Share